NESTOR CELESTINO


 

A imagem pode conter: 2 pessoas

NESTOR CELESTINO (Perfil)
Por Pedro Jorge*

Frase:
“Primeiramente, agradeço a Deus e depois aos radialistas, aos meus familiares e aos meus (minhas) amigos (as): especialmente ao meu produtor musical e empresário, Marcos Góes (“Marcos da Som Pop Discos”), e a Neno Mendes (colaborador)!” – (Nestor Celestino)

Neusvaldo Celestino da Silva é o nome de batismo do cantor e compositor de música brega, Nestor Celestino. Ele nasceu no dia 15 de fevereiro de 1969 no município de Arapiraca (AL). Dos primeiros quatro casamentos ele é pai de cinco filhas: Ligya Angélica, Amanda Estela, Lyvia Santos, Luana Santos e Deysi Kelly; e de seis filhos: Jhon Almeida, Daniel Almeida, Neusvaldo Celestino Filho, Rivaldo Almeida, Yan Max e Bismarck Tenório, e é avô de três homens e uma mulher. Atualmente, é casado com Girlene Tenório da Silva.

No período de 1987 a 1988, Nestor Celestino, trabalhou na antiga metalúrgica Metasil nas funções de ajudante geral e almoxarife. De 1989 a 1992, na empresa de ônibus Benfica (manobrista) e no ano de 1993 (durante seis meses) na firma de ônibus Villany, como cobrador: todas na cidade de Guarulhos (SP).

Nos anos 2000, ele fez a abertura de diversos shows na cidade de São Luiz do Maranhão (MA): Reginaldo Rossi (1944-2013), Frankito Lopes (1938-2008), Ray Douglas, Lairton dos Teclados, entre outros; e no município de Itabaiana (SE), a convite de Beto Promoções (in memoriam), fez a abertura do show do consagrado cantor e compositor, Amado Batista, e de diversas bandas dedicadas ao forró eletrônico.

As principais cidades que Nestor Celestino se apresentou, além-fronteiras, foram as seguintes: São Luiz do Maranhão, Bacabal, Santa Inez e Rosário (Maranhão); Itabaiana, Aracaju, Propriá, Porto da Folha, Lagarto, Pacatuba e Canindé do São Francisco (Sergipe); e, Jequié, Alagoinhas e Vitória da Conquista (Bahia).

Seus maiores sucessos são “Pensando Nela” (Nestor Celestino e Cícero Celestino, seu irmão), “Pássaro de Prata” (Nestor Celestino e Nilton José), “Dois Anos de Amor” (Nestor Celestino e Carlos Alberto), “Mulher de Programa” (Nestor Celestino e Tito Natureza), “Pensando em Você” (Claudino Costa), “Quero Uma Carona” (Orlando Bibiano);  entre outras.

Em seu vasto currículo artístico constam nove discos gravados: todos lançados pela NG Produções e fabricados pela empresa MCK de São Paulo. Atualmente, o seu produtor e empresário musical é o competente, Marcos Góes (“Marcos da Som Pop Discos”).

DISCOGRAFIA

* (1996) “10 Anos de Saudade” (K-7);
* (1998) “Pensando Nela” (CD);
* (2000) “Sonho Dourado” (CD);
* (2003) “Pássaro de Prata” (CD);
* (2004) “Saudade de Caminhoneiro” (CD);
* (2006) “Momentos” (CD);
* (2007) “As Melhores de Nestor Celestino” (CD-)Coletânea;
* (2012) “Sonho de Ilusão – Seleção de Ouro” (CD);
* (2018) “Homem Apaixonado – Seleção de Ouro” (CD)*.

* A seleção musical deste recente CD intitulado “Homem Apaixonado” é de Neno Mendes e nele constam as participações especiais de Borba de Paula (“Bote Uma Pra Mim”), Zelito (“Ainda Bem”) e Célio Barone (“Fim de Semana”).

Escute os sucessos do cantor e compositor arapiraquense, Nestor Celestino, acessando o site Palco MP3. O link é: https://www.palcomp3.com/nestorcelestino/

* Pedro Jorge de Melo é funcionário público municipal efetivo, em Arapiraca (AL), e um dos administradores do blog cultural “Arapiraca Legal”.

________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATOS (SHOWS)

Nestor Celestino:
(82) 99932.2374 (Tim) / (82) 98143.8008 (Vivo).

Marcos Góes (empresários):
(82) 99950.3190 (Tim).

[ Editado por Pedro Jorge / E-mail: pjorge-65@hotmail.com ]

 

Anúncios

Caldinho do Pedrinho


Caldinho do Pedrinho: Uma Tradição na Vida dos Arapiraquenses
Por Redação (site Minuto Nordeste, 01/06/2016)

Com novas instalações o tradicional Caldinho do Pedrinho, no bairro Alto do Cruzeiro, continua com seus deliciosos petiscos e a cerveja gelada. o estabelecimento é um dos mais antigos da cidade. Frequentado por varias gerações de arapiraquenses, o estabelecimento é comandado pelos irmãos Flavio Silva e Pedro Balbino – Pedrinho. Como especialidade o famoso caldinho, que sempre encanta a todos que o consome.

O local é situado na esquina da rua Marcelino Magalhães com a rua Florêncio Apolinário. Conquista seus clientes e amigos, desde 1966, e inovou com o tradicional caldinho em 1973. Jose Pedro da Silva, que deixou a vida de oleiro para se dedicar na marcenaria e mercearia, dividia seu o tempo em fazer os moveis e atender os frequentadores da mercearia. Antes de fixar como proprietário dos dois negócios, Jose Pedro da Silva era oleiro no atual bairro Canafistula, um dos prédios que possui tijolos fabricados por ele é o do Clube dos Fumicultores e algumas lojas do centro da cidade. Já com a carpintaria e com a ajuda dos filhos, Flavio e Pedrinho, transformaram um simples comércio em um ponto tradicional, acolhedor e familiar. Há clientes que já estão frequentando o bar desde a sua mocidade e hoje levam seus filhos e netos para saborear um dos melhores caldinhos da cidade e outros petiscos deliciosos.

Sempre aberto a toda a família da região, é frequentado por muitos que gostam de um bom debate sobre os diversos assuntos que movem a sociedade. Agora com a ampliação o Bar do Pedrinho está pronto a receber mais pessoas que gostam de um bom papo, cerveja gelada, uma boa bisteca e o tradicional caldinho, entre outros petiscos que acompanhado de um ambiente aconchegante proporciona lazer e comodidade a todos que buscam um ambiente familiar.

Fonte (link): http://www.minutonordeste.com.br/noticia/caldinho-do-pedrinho-uma-tradico-na-vida-dos-arapiraquenses/2055

PRÉDIOS E MONUMENTOS DE ARAPIRACA


Concatedral Nossa Senhora do Bom ConselhoIgreja do Santíssimo Sacramento, antiga MatrizCapela de São Sebastião

PRÉDIOS E MONUMENTOS CONTAM A HISTÓRIA DE ARAPIRACA

Não há presente sem passado, nem futuro sem presente. Assim foi e continuará sendo documentada a história de Arapiraca (AL) que, no próximo dia 30 de outubro de 2017 estará completando 93 anos de Emancipação Política. Prédios antigos, monumentos, estátuas e bustos espalhados pela cidade guardam lembranças e informações históricas para moradores e pessoas que visitam Arapiraca.

O mais importante de todos os monumentos histórivcos, certamente, é a Conctaedral
N. S. do Bom Conselho, edificação que nos idos de 1975 começou a surgir de forma
imponente na Terra de Manoel André e Esperidião Rodrigues. 50 anos antes da
edificaçãao da Concatedral, o terreno localizado na antiga Ruaa da Mtança (atual
largo Dom Fernando Gomes), deu lugar um Cemitério, considerado a primeira obra do
prefeito Esperidião Rodrigues, construído no ano de 1925.

Igreja do Santíssimo Sacramento, antiga Matriz

Igreja do Santíssimo (Antiga Matriz):
A história da edificação da mais importante Igreja de Arapiraca começou no ano de
1865, quando Manoel André construiu sob o túmulo de Maria Izabel Silva Valente a
primeira Matriz de N. S. do Bom Conselho, também conhecida como Santuário do
Santíssimo Sacramento está localizada na Praça Manoel André.

Concatedral Nossa Senhora do Bom Conselho

Concatedral N. S. do Bom Conselho:
Com o crescimento do município foi necessário construir uma Matriz maior, surgindo,
assim, a Concatedral cujo primeiro pároco foi o Padre Epitácio Santos (in memoriam). Logo depois quem assumiu a Paróquia foi o Monsenhor Aldo de Melo Brandão
(in memoriam), onde permaneceu por 25 anos, logo após sendo adminstrada por um
período de seis anos pelo padre Murilo dos Santos e, atualmente, tem como pároco o
Padre Antenor Montenegro.

Capela de São Sebastião

Capela de São Sebastião:
Pequenina, a Capela de São Sebastião, localizada na venida Rio Branco, é uma das
edificações mais antigas do centro de Arapiraca. O prédio foi construído, em 1904,
pelo agricultor José Zeferino de Magalhães (in memoriam), em sua propriedade. O objetivo era pagar uma promessa feita ao santo para defender da varíola, doença sque assolou o Nordeste brasileiro no início do século XX.

A Igreja é considerada Patrimônio Histórico e Cultural de Arapiraca (AL), tendo um
dos cidadões que mais fizeram pela fé da região, o Monsenhor Epitácio Rodrigues (in
memoriam), que foi pároco do municipio, descansando seus restos mortais no interior
da Capela. No chão desta Igreja também foramsepultados os primeiros habitantes da
antiga “Terra do Fumo” até o ano de 1905. Lá, também, está sepultada D. Isabel da
Rocha Pires, sogra de Manoel André (in memoriam), que faleceu no ano de 1873.

Edificação residencial mais antiga continua imponente

Sobrado que Pertenceu à Família do Ex-Prefeito Luiz Pereira Lima:
A construção residencial mais antiga de Arapiraca (AL) é o sobrado que pertenceu à
família do ex-prefeito, Luiz Pereira Lima (in memoriam), pai dos ex-deputados
estaduais Claudenor e Cláudio de Albuquerque Lima (in memoriam), cassados pela
Revolução de 1964 e de outros dois filhos.

O prédio está localizado na praça Manoel André, esquina com a Runa Aníbal Lima. O
ano da construção foi 1938: gravado no alto da fachada do imóvel, que foi palco dde
um dos capítulos mais tumultuados da históri apolítica da região, entre os anos de
1950 e 1964. Posteriormente o prédio foi vendido pra Família Penedense Peixoto
Gonçalves, atualmente, está alugada para um ponto comercial. A moradia foi
desocupada depois de 1955, pois nessa data Luiz Pereira adoeceu e foi para São
Paulo, onde faaleceu, enquanto sua esposa, Afra de Albuquerque Lima (in memoriam),
foi encaminhada enferma e acabou falecendo, em Maceió (AL).

Antigo Paço Municipal:
O primeiro sobrado edificado, em Arapirca (AL), foi construíido pelo comerciante,
Antônio Apolinário (in memoriam), na praça deputado Marques da Silva. Na época, o
prédio colonial foi escolhido para servir de sede para a festa de Posse da
Emancipação Política da Terra de Manoel André e Esperidião Rodrigues, em 30 de
outubro de 1924. Na época, chamado de Paço Municipal, no local passou a funcionar a
Junta Governativa por líderes da comunidade e presisidida por Francisco de Paula
Magalhães (in memoriam), cuja gestão provisória foi de 31 de outubro de 1924 a 1.º
de janeiro de 1925, quando foi eleito o primeiro prefeito, o major Esperidião da
Silva (in memoriam).

No antigo Paço Municipal continuou, também, a Administração Municipal que passou a
ser a primeira Prefeitura Municipal de Arapiraca. Anos depois, após a administração ser transferida para a avenida Rio Branco, o Paço Municipal deu lugar à primeira Delegacia de Polícia e, mais adiante, o imóvel serviu para a instalação do primeiro hotel a cidade (Hotel Estrela), que passou por sucessivos proprietários. Até que, em 1952, o Paço Municipal passou para a iniciativa privada, e, em 1970, foi demolido.

Memorial da Mulher, uma homenagem a ex-deputada federal Ceci Cunha

Memorial da Mulher Ceci Cunha:
Inaugurado, em 8 de março de 2008, no Dia Internacional da Mulher, o Memorial Ceci
Cunha chegou num momento de emancipação e valorização da mulher e constitui-se,
inicialmente, num exercício de pesquisa de experiências passadas que confirmam
novos sentidos ao nosso presente e exaltem a história do município. Tenddo como
objetivo principal promover a valoriação da mulher pelo reconhecimento, resgate e
preservação do patrimônio existente, através de exposições, manutenção de acervo e
atividades de de interação com escolas, instituições, empresas e população em
geral.

Às mulheres da Terra de Manoel André e Esperidião Rodrigues que desempenham este
importante papel na construção da história do município, a esse elenco de
personalidades que que ilustra o Memorial da Mulher de Arapiraca, presta esta
homenagem às heroínas que com altruísmo e abnegação deram tudo de si para tornar
Arapiraca (AL) uma cidade mais humana e feliz na posteridade. A ex-deputada federal
Ceci Cunha (in memoriam), assassinada no ano de 1998, foi homenageada como
patrona do Memorial, tendo, inclusive seu busto exposto no alto da fachada do
prédio.

Fonte: jornal Alagoas Agora (edição de 16 a 22 de outubro de 2017) – Ascom.

O BOÊMIO (In Memoriam)


TRIBUTO – O BOÊMIO
Por Bezerra Frank

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Crédito da caricatura: Bezerra Frank.

Uma figura arapiraquense que já não está entre nós,”O BOÊMIO” o cara que inventava a sua própria moda (your fashion) como óculos feminino escuros, roupas confeccionadas com tecidos de sacos de estopas,sandálias de couro,sempre desfilando no centro da cidade com um cigarro londo entre os dedos e com passos lentos para chamar a atenção com seu charme inconfundível. Esse foi “O BOÊMIO”.

Fonte: Facebook “Bezerra Frank”.

Eraldo de Lima Silva


 

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto

________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Eraldo de Lima Silva

Um autodidata, com a vida dedicada aos minerais desde sua mocidade, Eraldo de Lima Silva, estudou e pesquisou sobre esses materiais nas jazidas de Arapiraca (AL), no Agreste alagoano.

Eraldo de Lima e Silva,espalhou”essa paixão entre os cinco filhos e  a esposa, e eternizou parte de seu acervo pessoal doando peças ao setor de Geologia do MNH (Museu de História Natural) da UFAL (Universidade Federal de Alagoas.

Fonte: CONFAA.

HINO DA PADROEIRA DE ARAPIRACA


 

Resultado de imagem para Padroeira de arapiraca

HINO DA PADROEIRA (HINO A N. S. DO BOM CONSELHO – EXCELSA PADROEIRA DE ARAPIRACA)
Letra: Pe. Valdiran Santos.

Bem feliz a nossa terra
Que nasceu á sombra da Cruz
Os primeiros que aqui chegaram
Ergueram um Trono á Mãe de Jesus

Ó Maria, Mãe do Bom Conselho
Abençõe estes filhos teus
Guarda a nossa Arapiraca,
Sob as mãos poderosas de Deus

Aqui estão os teus filhos devotos
Resultantes de alegria e fé
Ao ouvir teu suave conselho:
“Fazei tudo que Cristo disser”

Esta terra cresceu triunfante
Envolvida em Manto de Luz,
O Cruzeiro é o sinal constante,
Do amor que temos a Jesus

Os teus filhos humildes e pobres
Vêm a Ti com amor e com zelo,
Buscam sempre em Ti, Ó Maria
Teu Materno e Santo Conselho

Os fiéis desta tua Paróquia                                                                                                     Rendem aos Céus uma Prece feliz
A Rainha revestida de Glória
Que refulge na nova Matriz

Ó Maria, a Ti, nosso canto,
Que Bondade é Teu Coração,
Conduze-nos ao Céu, te pedimos,
A Jesus nossa Eterna Mansão.

________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Resultado de imagem para Pe. Antenor Montenegro Júnior

PALAVRA DO PADRE
Por Pe. Antenor Montenegro Júnior (janeiro e fevereiro de 2017)

Queridos irmãos e irmãs,

O ano de 2017, foi instituído pelo Papa Francisco como “Ano Mariano”. Uma grande alegria para todos nós: “Maria sempre foi uma porta aberta ao conhecimento de Jesus: é o modelo se seguimento de Cristo, dos valores humanos que marcam a identidade religiosa do povo.” A Festa de Nossa Senhora do Bom Conselho será um grande momento para vivenciarmos nossa fé, em Jesus Cristo, e nossa devoção á Virgem Maria. Ela é a fiel discípula, a Mãe Clemente e atenta a nós, seus filhos.

O olhar maternal de Maria que atenta, intercede por nós, nos ajuda a sermos gratos e obedientes a Deus. Todos nós, filhos (as) devotos (as) de Maria, sabemos que encontramos diariamente o rumo certo, em nossa fé, para chegarmos á glória do nosso Redentor, Jesus Cristo.

Aproveitemos casa momento do Novenário de Nossa Senhora do Bom Conselho para crescermos na paz e na alegria, na saúde do corpo e da alma. Amém!

Fonte: divulgação da “Festa de Nossa Senhora do Bom Conselho” (janeiro e fevereiro de 2017) – Pe. Antenor Montenegro Júnior.

[ Editado por Pedro Jorge / E-mail: pjorge-65@hotmail.com ]

TRIBUTOS (Personalidades Eclesiais)


Resultado de imagem para MONSENHOR LUIZ MARQUES BARBOSA

TRIBUTOS (Personalidades Eclesiais):
(Perfis extraídos do livro “História do Alto do Cruzeiro e os 50 Anos da Capela”)

* DOM CONSTANTINO LUERS – Alemão. Foi “Bispo Diocesano” de Penedo (AL), durante 18 anos. Determinou a construção da grande Igreja Matriz da Paróquia de São José (bairro Alto do Cruzeiro, Arapiraca – AL). Para a realização desta obra comprou um terreno de José Luís, onde, atualmente, está o Lar São Domingos Sávio. Depois adquiriu o terreno onde foi construída a nova Matriz de São José. Para este fim conseguiu com seus amigos da Alemanha, o dinheiro necessário para a aquisição. Construiu, também, muitas Igrejas em outras Paróquias e várias vilas de casas para pessoas carentes, em vários municípios da Diocese de Penedo.

* DOM FELÍCIO DA CUNHA VASCONCELOS – Foi Bispo da Diocese de Penedo (AL) durante oito anos. Substituiu Dom Fernando Gomes e fez muitas palestras, em Arapiraca (AL). Era muito fervoroso e amigo da sinceridade. Ao sair da Diocese de Penedo, em 1957, Dom Felício da Cunha Vasconcelos, foi ser Arcebispo de Florianópolis (SC), onde viveu até sua partida para a Eternidade.

* DOM FERNANDO GOMES DOS SANTOS – Foi “Bispo Segundo” da Diocese de Penedo (AL), Juntamente com o Padre Epitácio Rodrigues, criou a Paróquia Nossa Senhora do Bom Conselho, em Arapiraca (AL), no dia 15 de agosto de 1944: primeira Paróquia desmembrada da Paróquia de Limoeiro de Anadia (AL). Dom Fernando Gomes dos Santos, foi Bispo de Penedo durante seis anos.

* DOM JOSÉ TERCEIRO DE SOUZA – Foi o quarto Bispo Diocesano de Penedo (AL). empossado no dia 19 de março de 1958 foi até o dia 19 de março de 1976. Criou a Paróquia de São José (Padroeiro São José Operário) e deu posse ao primeiro Pároco, Padre José Francisco Santana, do dia 1.º de maio de 1969 – com festa na casa de José Amâncio da Silva (Zuza Vital) e com a presença do Padre Epitácio Rodrigues e outros (as) convidados (as).

Resultado de imagem para MONSENHOR EPITÁCIO RODRIGUES

* MONSENHOR EPITÁCIO RODRIGUES – Foi Pároco da Paróquia de Nossa Senhora do Bom Conselho (centro, Arapiraca – AL) e incentivador da construção da Capela de São José (bairro Alto do Cruzeiro, Arapiraca), em 1959. Quando foi criada a Paróquia de Nossa Senhora do Bom Conselho, em 15 de agosto de 1944, o Padre Epitácio Rodrigues, por convite do Congregado Mariano, Zuza Vital, passou a celebrar a Santa Missa da festa de Ano Novo (meia noite do dia 31/12) no Alto da Boa Vista (atual Alto do Cruzeiro), para abençoar o novo novo. Com a presença do Padre Epitácio, que deu sua bênção e celebrou a primeira Missa no dia 6 de setembro de 1959.

Resultado de imagem para Paróquia Nossa Senhora da Conceição no município de Craíbas dos Nunes (atual Craíbas - AL).

Nota: A inauguração da Capela de São José, foi na mesma data da instalação da Paróquia Nossa Senhora da Conceição no município de Craíbas dos Nunes (atual Craíbas – AL).

Resultado de imagem para MONSENHOR LUIZ MARQUES BARBOSA

* MONSENHOR LUÍS MARQUES BARBOSA (HOMENAGEM) – Em 17 de setembro de 2009, ao comemorar os 50 anos da Capela de São José (1959 a 2009: localizada na Praça Santa Cruz no bairro Alto do Cruzeiro, Arapiraca – AL) e, ao mesmo tempo, comemorar os 100 anos de Zuza Vital (1909 a 2009) todo o Alto do Cruzeiro se alegra. Durante as comemorações aconteceu, também, por meio de Dom Valério, o grau de Pároco Emérito ao Monsenhor Luís Marques Barbosa. Como Pároco Emérico, ele criou a Santa Missa da tarde, aos domingos, e conservou a Missa das terças feiras á noite com as orações de Santo Antônio e a bênção dos pães para ser distribuídos pra pessoas carentes.

* PADRE AMÉRICO HENRIQUE DOS SANTOS – Com a criação da Paróquia de Santo Antônio, no bairro Cacimbas (Arapiraca – AL), o Padre Américo Henrique dos Santos, que estava residindo na rua Marcelino Magalhães (bairro Alto do Cruzeiro), procurou os moradores do bairro para criar, também, a Paróquia do Alto do Cruzeiro. Para a preparação da Paróquia de São José (Alto do Cruzeiro), em maio de 1967, foi criado o grupo juvenil da Legião de Maria, com os seguintes pontos: bairros Brasília e Caititús; ruas Delmiro Gouveia e da Alegria (atual rua Tancredo Neves), e Capela de São José.

* PADRE ANTÔNIO ANTENOR DOS SANTOS (FREI ANTENOR) – Nasceu, no dia 8 de abril de 1947. Era “Franciscano”. Foi Pároco da Paróquia de São José (bairro Alto do Cruzeiro, Arapiraca – AL), no período de 1981 a 1985. Entre os muitos trabalhos realizados, está a construção do novo Cruzeiro de concreto armado – o engenheiro foi o Dr. Ademar Barbosa Santos (neto do vereador, Domingos Vital) – da Praça Santa Cruz (Alto do Cruzeiro), em 1984. Frei Antenor, assumiu a Paróquia de São José, em janeiro de 1981. Em 1982, ele foi a São Paulo e comprou as imagens de São Francisco, Santo Antônio e Carente de Pão; e criou a Irmnandade de Santo Antônio composta de senhoras com o objetivo de irem para as panificadoras pedirem pães. Também, criou a Missa das terças feiras á noite para abençoar e ditribuir pães para pessoas carentes. Ele faleceu, em 20 de agosto de 2010, aos 62 anos de idade.

* PADRE AFRÂNIO PINHEIRO BEZERRA – Em maio de 1979, o Padre Afrânio Pinheiro Bezerra, assume Paróquia de São José (bairro Alto do Cruzeiro, Arapiraca – AL). Com a presença dele foi criada a Legião de Maria (com a fundação do Praesidium Rainha dos Profetas, em 9 de junho de 1979). Mo dia 29 de março de 1980, ele deixou a Paróquia de São José e foi tomar posse da Paróquia Divina pastora, em Junqueiro (AL). com a saída do padre Afrâniio, a Paróquia de São José ficou sob os cuidados do Cônego Hidelbrando Mendes Costa – na época, Pároco da Paróquia Nossa Senhora do Bom Conselho.

* PADRE ANTÔNIO LIMA NETO – Nasceu, em 1927. Foi ordenado Sacerdote, em 1951, por Dom Felício da Cunha Vasconcelos e coadjutor do Padre Epitácio Rodrigues no período de 1961 a 1965. Por muitas vezes foi celebrante na Capela de São José (bairro Alto do Cruzeiro, Arapiraca – AL). Padre Antônio Lima Neto, foi o primeiro Pároco da Paróquia de Santo Antônio (bairro Cacimbas, Arapiraca). Ele faleceu, em 1980, aos 53 anos de idade.

* PADRE GEFERSON DE CARVALHO LIMA – Com a criação da Paróquia Nossa Senhora da Conceição (Na época pertencente a Paróquia de Nossa Senhora do Bom Conselho, Arapiraca – AL), no povoado Craíbas dos Nunes (atual Craíbas – AL) – na época, pertencente ao município de Arapiraca – o Padre Geferson de Carvalho Lima, que era Coadjunto auxiliando o Padre Epitácio, tomou posse como Pároco de Craíbas dos Nunes e para o Padre Epitácio não ficar sozinho ele, também, ficou o ajudando e celebrando Missas na Capela de São José (bairro Alto do Cruzeiro, Arapiraca – AL), durante muito tempo.

* PADRE JOSÉ FRANCISCO SANTANA – Foi o primeiro Pároco da “Frequezia de São José”(bairro Alto do Cruzeiro, Arapiraca – AL). Sua posse foi, no dia 1º de maio de 1969, dada por Dom José Terceiro de Souza (bispo Diocesano de Penedo – AL), juntamente com o Padre Epitácio Rodrigues (tio dele). Padre José Francisco Santana, foi Pároco até o ano de 1978. Os seus pais foram Francisco Santana e Tercília Rodrigues (irmã do Padre Epitácio Rodrigues). José Francisco santana foi, também, coadjutor do Padre Epitácio na Paróquia Nossa Senhora do Bom Conselho (centro de Arapiraca – AL). devido a Igreja ser pequena, a Missa aos domingos eram celebradas na calçada com os fiéis na Praça Santa Cruz, ás 19 h. ele contou com a juventude, liderada por Margarida Lopes Vital e Marize Ribeiro, que criaram o Pastoril Sagrada Família para animar a Festa do Alto do Cruzeiro. este pastoril, atuou com muita alegria nas festas no período de 1969 a 1972. No dia 6 de janeiro (Festa dos Reis) se coroava as rainhas do Azul e do Encarnado. Em 1973, ele começou a ensinar na Escola Quintela Cavalcanti e na antiga Faculdade de Formação de Professores de Arapiraca.

* SÃO JOÃO XXIII – Papa do tempo da construção da Capela de São José (bairro Alto do Cruzeiro, Arapiraca – AL). Foi Papa no período de 1958 a 1963, durante cinco anos. Foi canonizado, juntamente com São João Paulo II, no dia 27 de abril de 2014, pelo Papa Francisco. São João XXIII nasceu, em 1881, e faleceu no ano de 1963.

________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

HOMENAGEM (Valdemar Oliveira de Macedo):

Resultado de imagem para valdemar oliveira de arapiraca

HOMENAGEM (VALDEMAR OLIVEIRA DE MACEDO)
Por Valdemar Oliveira de Macedo

Valdemar Oliveira de Macedo nasceu, no povoado Bananeiras pertencente ao município de Arapiraca (AL), no mês de novembro de 1935. Filho do carpinteiro e agricultor, José Clarindo de Macedo, e da dona de lar, Honorata Maria de Oliveira. Estudou na Escola Fernandes Lima (Bananeiras), no período de 1945 a 1951.

Ele trabalhou, em plantações de lavoura, na roça do seu pai até 1949, e como balconista, em uma bodega, no bairro Alto do Cruzeiro. Foi professor na antiga Escola Programada (atual Colégio Nossa Senhora do Bom Conselho) e Escola Estadual Professor Quintela Cavalcante. Fez estudos de Ciências Exatas na Universidade de Belém do Pará, com habilitação, em Física, e lecionou Ciências Exatas, em Maceió (AL), durante 10 anos.

Valdemar Oliveira, casou com Maria José de Oliveira, em fevereiro de 1955, e é pai de cinco filhos (as): Eliana Oliveira de Macedo (1955 – 1958), Elisabete (1959), Carlos (1960), Edileuza (1962) e João (1967). Foi companheiro de Zuza Vital (in memoriam) na Congregação Mariana do dia 15 de agosto de 1952 (Festa de Nossa Senhora da Assunção), até o falecimento de Zuza. Em 2002, foi a Portugal e comemorou seus 50 anos de Congregação na Basílica de Nossa Senhora de Fátima, em Fátima.

Obras Publicadas:
* Raízes e Frutos de Arapiraca (1992);
* Arapiraca na História de Alagoas (1994);
* Nossa Terra e Nossa História (1998);
* Centenário de Mãe (2005);
* Arapiraca Até Hoje (2010);
* História do Alto do Cruzeiro e os 50 Anos da Capela (2015).

________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Resultado de imagem para MONSENHOR LUIZ MARQUES BARBOSA

HISTÓRIA DO ALTO DO CRUZEIRO E OS 50 ANOS DA CAPELA (Apresentação do Livro)
Por Valdemar Oliveira de Macedo

Este livro, denominado “História do Alto do Cruzeiro e os 50 Anos da Capela”, tem por objetivo apresentar os habitantes do bairro Alto do Cruzeiro (antigo Alto da Boa Vista), no ano de 1959, quando foi construída a Capela de São José na atual praça Santa Cruz (antigo Largo da Festa de Ano Novo) e, também, comemorar o centenário de José Amâncio Vital (Zuza Vital) – que com Padre Epitácio Rodrigues e muitos (as) amigos (as) construíram a Capela, em honra de São José; e ao mesmo tempo comemorar o tempo, em que foi criada pelo Monsenhor Luis Marques Barbosa a Santa Missa aos domingos à tarde no ano de 2009 na Capela da praça Santa Cruz – no tempo que estava sendo o Pároco Emérito da Paróquia de São José (bairro Alto do Cruzeiro, Arapiraca – AL). Com estas finalidades, creio que tenho honrado o nosso povo e o nosso lugar (1959 – 2009).

Em 1959, o bairro Alto do Cruzeiro era formado pelo Largo da Festa de Ano Novo (atual praça Santa Cruz); ruas da Aurora (atual rua Vereador Domingos Vital da Silva), São Pedro, Florêncio Apolinário, 13 de Maio (rua Governador Luís Cavalcante), São José, da Alegria (rua Tancredo Neves) e São João. Por esta razão, as pessoas que residiam nestas ruas estão registradas neste livro, porque ajudaram a Zuza Vital na construção da Capela de São José. A maioria já faleceram, mas seus filhos (as), netos (as) e amigos (as) se lembram deles (as). Esta obra literária veio para lembrá-los (as) e honrá-los (as) para a glória de Deus e da Santa Igreja Católica e Apostólica Romana, e alegria de todo o nosso povo. As fotos, testemunham nossa “Família” e nossa “Mãe-Igreja”.

Patrocínio:
* Asa Branca – Indústria, Comércio e Importadora Ltda. (por meio do amigo, José Hipólito Correia Costa: diretor-presidente).

Digitação, Diagramação e Impressão:
* CBC – Carimbos, Brindes e Cia.
Rua Vereador Domingos Vital, 123
Bairro Alto do Cruzeiro – Arapiraca (AL)
Telefones: (82) 3530.9034 / 8885.9034 / 9946.7187.

Fonte (perfis, texto e fotos): livro “História do Alto do Cruzeiro e os 50 Anos da Capela” (2015) – Valdemar Oliveira de Macedo.

________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

COMO LIDAR COM O LUTO
Por Valdenice Guimarães

A perda é um evento estressante, os estímulos associados à falta da pessoa tendem a tornar-se aversivos. Portanto, o luto seria uma reação à perda, em geral de uma pessoa amada. Após a morte, o enlutado necessita de um tempo para adaptar-se à nova realidade e o tempo para essa adaptação é relativo à intensidade e o envolvimento da relação.

Cada processo de luto é único e vai depender do vínculo que existia, pois, as pessoas vivenciam o sofrimento de maneiras diferentes. Se a pessoa tiver uma relação de dependência com o falecido, é possível que não consiga reagir sozinha, precisando do auxílio de um profissional especializado. A terapia objetiva a maximização de reforçadores positivos e a atenuação de varáveis aversivas envolvidas no sofrimento do paciente.

Entendemos comportamento, quando há uma relação do organismo com o ambiente. Nesse sentido, podemos dizer que as pessoas apresentam estímulos discriminativos e estímulos reforçadores na história de vida dos organismos e, com a morte, esses estímulos deixariam de fazer parte da pessoa enlutada, ou seja, a pessoa enlutada perderia esses reforçadores.

Com a perda de uma pessoa querida ocorre uma alteração nas contingências de reforçamento na vida da pessoa, portanto, é normal que ocorra uma grande mudança comportamental, em sua vida. Quanto à intensidade e a profundidade do vínculo, proporcionalmente maior, mais intensa e mais duradoura é a dor pela perda. Nas culturas ocidentais a morte costuma ser sinônimo de perda, de fim, de luto e de tristeza. Já, em algumas culturas orientais a morte marca a coroação da vida, e eles celebram.

A morte é algo irreversível e inevitável, o que implica que nenhum comportamento manifesto pelo enlutado vai alterar esse evento. Isso caracteriza uma relação de não contingência, ou seja, um a condição de incontrolabilidade do meio.

O papel do terapeuta é auxiliar o enlutado a aceitar a realidade da morte, ou seja, a finitude da vida, vivenciar a perda, além de auxiliar a pessoa no processo de enfrentamento das contingências atuais e, também, encontrar novos reforçadores para o sujeito continuar vivenciando, compreendendo que aquela pessoa foi importante na sua vida, mas que não estará mais presente pelo menos fisicamente no seu dia a dia.

Cada pessoa vivencia o luto a partir do seu repertório comportamental. Viver esse processo de luto não tem como finalidade esquecer aquela pessoa que foi importante, mas aprender a viver apesar da perda. Pensar sobre a finitude do ser humano é algo desconfortável.

* É psicóloga clínica com pós-graduação, em Análise de Comportamento, e membro-fundadora do Instituto de Análise do Comportamento de Alagoas.

Fonte: jornal “Jornal de Arapiraca” (24 a 30 de novembro de 2017) – Valdenice Guimarães.

[ Editado por Pedro Jorge / E-mail: pjorge-65@hotmail.com ]