Antônio Carlos da Conceição

 

BIOGRAFIA
( Carece de fonte )

____________________________________________________________________________________________________
O DESCONHECIDO
Por Antônio Carlos da Conceição ( Membro da ACALA – Academia Arapiraquense de Letras e Artes )

Arapiraca/AL tem uma dívida enorme a resgatar para com a memória do Dr. José
Fernandes de Barros Lima. Uma dívida bem do tamanho do seu brilho, na
constelação dos Municípios alagoanos. Do tamanho do respeito que sua gente merece
pelo idealismo e dedicação ao trabalho, na construção do seu futuro.

Quem foi José Fernades de Barros Lima? Fazendo-se uma pesquisa nas ruas de
Arapiraca, é difícil imaginar, de antemão, se possível encontrar alguém que saiba
responder quem foi José Fernades de Barros Lima. A constatação dolorosa é de
que, para muita gente trata-se de pessoa absolutamente desconhecida.

Procurando-se saber quem foi Zumbi, é bem provável que muita gente saiba quem
foi. Ainda que tal personagem não tenha tido, em algum momento, qualquer ligação
com Arapiraca. Se a pessquisa procurar saber quem foi Princesa Isabel,
acontecerá uma goleada! Todo mundo sabe. E, assim acontecerá com muitas outras
perguntas, sobre alguém que nunca passou por Arapiraca.

Mas, por que Arapiraca não sabe quem foi José Fernandes de Barros Lima?
Perguntando-se a qualquer pessoa na rua, em que data ocorreu a Emancipação de
Arapiraca, a resposta está pronta: 30 de outubro!

Eis aí, porque ninguém sabe quem foi José Fernandes de Barros Lima. O nome de
José Fernades de Barros Lima está ligado diretamente á verdadeira data da
Emancipação de Arapiraca. E a data que se conhece, não é, nem de Direito, nem de
Fato, a data em que Arapiraca libertou-se do domínio de Limoeiro de Anadia.

José Fernandes de Barros Lima foi o presidente (?) do Estado de Alagoas que
decretou a maioridade de Arapiraca, sancionando a lei 1109, que criou o Município,
desmembrando seu território do Município de Limoeiro. No dia 30 de maio de 1924,
repito, 30 de maio de 1924!!!

Explica-se, então, porque o povo de Arapiraca não sabe quem foi José Fernades de
Barros Lima. Vulto do maior destaque na consumação do Ato Libertário, objeto da
luta incansável de Esperidião Rodrigues. Se, a verdadeira data da Emancipação
fosse afixada, com o destaque devido, na História, certamente, o nome de José
Fernandes de Barros Lima estaria gravado na alma do povo. Porque a criatura
permanece ligada, para sempre, ao seu criador. Ao se pensar na Libertação, logo
vem á memória o nome do Libertador. Bem como, falando-se no Libertador,
ressalta o motivo do cognome. Porque são coisas inseparáveis. Um não existe sem o
outro.

Talvez tenha ocorrido, ignorar-se a data real da Emancipação, o que preferimos
classificar de descuido, e um descuido profundamente lamentável, por causa da
transição política que o Estado vivia, naquele momento. O presidente (?), a quem
coube sancionar a lei 1109, Emancipando Arapiraca, estava em final de mandato. O
seu sucessor eleito em março, já se preparava para tomar posse em 12 de junho.
12 dias, portanto, depois da lei sancionada. Entretanto, fato importante e
significativo, que chama á atenção, é que, o acordo para que o povo esperasse
outubro para comemorar, foi feito com o sucessor – Dr. Pedro da Costa Rego, que,
inclusive, esteve presente ás comemorações, no dia 30 de outubro.

Este evento, simplesmente, ofuscou o papel do Libertador, no ato da Libertação.
E, consequentemente, apagou a imagem de José Fernades de Barros Lima. É a tal
história: “Atirei no que vi, matei o que não vi”. “Um planta, outro colhe”. Esta
distorção – a bem da verdade, da incontestabilidade dos fatos, e, para honrar,
fazendo justiça, a memória daqueles que particparam da nossa História, com
indiscutíveis méritos – precisa, e deve ser corrigida, sem delongas!

Acorda, Arapiraca!!! Na galeria dos vultos ilustres da tua História eatá faltando
alguém! Falta aquele que te deu a mão, para subires á passarela! Falta o
Libertador!!!

A Sociedade de Arapiraca, na voz dos seus legítimos representantes, precisa sair a
campo, para discutir este assunto. Que, até discorde do ponto de vista exposto.
Mas, discuta-o.

[ Fonte: “Informativo da ACALA” Nº 11, junho de 2012 ]

____________________________________________________________________________________________________

Comemoração da Emancipação Política de Arapiraca seria hoje (30), defende ACALA – Tradição do 30 de outubro é citada como erro histórico Da Redação ( 30 de maio de 2013 )

A ACALA (Academia Arapiraquense de Letras e Artes) contesta a data de comemoração da Emancipação de Arapiraca. Tradicionalmente celebrada no dia 30 de outubro, data teria sido adotada por erro histórico, defende a instituição. Durante solenidade na noite desta quarta-feira (29), acadêmico expôs trabalho sobre o assunto.

Poderia ser apenas um detalhe para alguns, mas a questão tem levantado debates e angariado adeptos no cenário político. O deputado estadual Ricardo Nezinho (PMDB) defendeu, ontem (29), no Fórum de Arapiraca, que a população arapiraquense conheça essa parte da história da Cidade.

Ricardo Nezinho frisou que soube do fato somente durante uma visita à Acala no início deste ano. “O projeto de lei foi assinado pelo então governador de Alagoas, Fernandes Lima, no dia 30 de maio de 1924, o que significa que foi este o dia da Emancipação do Município que passou a ser comemorado no dia 30 de outubro porque somente nesta data o governador pôde vir à Arapiraca comunicar oficialmente o fato”, explicou.

O membro da ACALA, Antônio Carlos da Conceição, apresentou o trabalho “Considerações sobre a História de Arapiraca”, no qual contesta o fato de a Cidade desconhecer a verdadeira data da emancipação. A equipe da Academia distribuiu ainda cópias do decreto assinado por Fernandes Lima e datado de 30 de maio de 1924.

Comentários:

“Arapiraca sente falta de estudiosos que possam resgatar algumas histórias que nunca poderão ser esquecidas. Um povo sem história é raça sem identidade, temos que saber quem somos, para poder saber pra onde vamos e o que faremos. Vamos dar valor a quem merece… Historiadores arapiraquenses muito obrigado! Hoje é o dia do aniversário da nossa Arapiraca, então VIVA ARAPIRACA!” – Júnior (30/05/2013).

“Pois se é assim, os políticos arapiraquenses tem que resolver isso, não podemos continuar comemorando a Emancipação na data errada, e para que nossos descendentes possam conhecer a verdadeira história de nossa Cidade”. – Josy (30/05/2013).

l Fonte (link):  http://www.7segundos.com.br/noticias/editoria/alagoas/comemoracao-da-emancipacao-de-arapiraca-seria-hoje-30-defende-acala/23424 l

____________________________________________________________________________________________________

A CRUZADA ACALIANA
Por Antônio Carlos da Conceição ( Sócio-correspondente da ACALA, Aracajú/SE, 20 de janeiro de 2009 )

I
O sócio presente
A ACALA, coesa embala,
Pujante e fremente!

II
A não ser assim,
Percalços de dúbios passos
Conduzem por fim…

III
Somente o que cala –
Direito no nosso peito –
Vitórias da ACALA.

IV
Presença constante –
Fazemos o que queremos –
ACALA Vibrante!

[ Fonte: Livro “ACALA – História e Vida”, abril de 2009 ]

[ Editado por Pedro Jorge ]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s