Bastinho da Sanfona

 
 
“Nós, artistas alagoanos, representamos a nossa cidade e o nosso estado, de Norte a Sul do Brasil, mas não somos valorizados pelos nossos governantes. Arapiraca e Alagoas é riquíssima em cultura mais pobre em reconhecimento e valorização de seus artistas por parte dos governantes”. – Bastinho da Sanfona
 
Nome completo: Sebastião Carlos Silva
Nome artístico: Bastinho da Sanfona
Data de nascimento: (Carece de fonte)
Local: Viçosa/AL
Gênero: Forró.
 
 
PERFIL – Bastinho da Sanfona
Por Pedro Jorge
Bastinho da Sanfona, nome artístico de Sebastião Carlos Silva, nasceu no Sítio Cachoeira, pertencente ao município de Viçosa/AL, localizado entre as cidades de Mar Vermelho e Paulo Jacinto/AL. Chegou em Arapiraca/AL no mês de dezembro de 1964, vindo a passeio na casa de sua irmã, Luzinete (in memoriam) , que morava no bairro Olaria (atual bairro Teotônio Vilela), e gostou da cidade resolvendo permanecer na mesma.Iniciou o trabalho de barbeiro e com o passar do tempo trouxe os seus pais. Trabalhou como barbeiro durante 15 anos e nessa época já tinha vocação artística e começou a treinar os primeiros acordes em uma sanfona no próprio local de trabalho. O seu professor foi Miguel Vieira, “O Príncipe do Carimbó”.

Em 1970 foi para São Paulo/SP. Na capital paulista desenvolveu ainda mais a sua arte e teve a oportunidade de conhecer Luiz Gonzaga ( 1912-1989 ), Jackson do Pandeiro ( 1919-1982 ) e os integrantes do Trio Nordestino, entre outros grandes nomes da Música Nordestina.

Na capital paulista teve o apoio do cantor e compositor alagoano Joci Batista e costumava frequentar a pensão da “Dona Bio”. Sentindo saudades de Arapiraca, só conseguiu passar um ano em São Paulo. Inclusive tendo recebido um convite para gravar um LP, ele não quis esperar pela gravação.

No período em que esteve em São paulo tocou em diversos salões de festas localizados no Norte/Sul e na Baixada São Vicente. Os principais locais em que trabalhou foram os Forrós de Zé Bétio e Mário Zan.

De volta a Arapiraca, Bastinho, passou a acompanhar o seu mestre, Miguel Vieira, em diversas apresentações. Logo em seguida também acompanhou, tocando sanfona, os artistas João do pife e Zé do Rojão.

EXCURSÕES / Bastinho da Sanfona, Zé do Rojão e João do Pife

No início da década de 1980, Bastinho da Sanfona, excursionou ao lado de Zé do Rojão e João do Pife, fazendo a abertura dos shows de Luiz Gonzaga, “O Rei do Baião”. Esta excursão foi iniciada na cidade de Santana de Ipanema/AL, indo até a Paraíba e encerrando em Arapiraca, com o patrocínio do Fumo Dubom, pertencente ao (saudoso) Gabi.

No ano seguinte excursionaram com o Trio Nordestino. Iniciando em São Miguel dos Campos/AL, indo até o estado da Paraíba, voltando por Pernambuco e encerrando em Arapiraca. Esta excursão teve a duração de 30 dias e foi patrocinada pelo Fumo Extraforte, de José Alexandre dos Santos.

Na terceira excursão Miguel Vieira se juntou a Bastinho, Zé do Rojão e João do Pife. Os quatro artistas arapiraquenses excursionaram além de todo o estado de Alagoas, em Sergipe, Pernambuco e Paraíba. Esta excursão teve o patrocínio do Fumo Rei do Nordeste.

No final dos anos 1980, Bastinho dividiu o palco com Sivuca (1930-2006 ), Elba Ramalho, Jorge de Altinho, Alcymar Monteiro, Oswaldinho e Nando Cordel em shows realizados em Aracaju, Areia Branca e em outras cidades do interior sergipano.

Nos anos 1990, Bastinho da Sanfona excursionou com o cantor de música popular-romântica Valdir Ramos, iniciando em Alagoas e indo até os estados de Pernambuco e Bahia.

Política
Bastinho foi candidato a vereador em duas eleições: 1982 e 1988. Apesar de ter obtido uma expressiva votação em embas, não conseguiu se eleger para o cargo do Poder Legislativo Municipal.

Família
Filho do agricultor Quintino Carlos Silva e da agricultora e parteira Verônica Maria da Conceição (in memorians), Bastinho da Sanfona é pai de 12 filhos – sendo oito homens e quatro mulheres, é avô de mais de 30 netos e bisavô de Karolyne, sua primeira bisneta. Ele tem um neto que se formará em medicina na Bolívia, no próximo ano (2012).

Alguns de seus filhos são formados e outros estão se formando: Mauroszan é cabo da PM-AL (Polícia Militar de Alagoas) e se formou em Direito; Marizângela é PM-SE (Polícia Militar do Estado de Sergipe) e também é formada em Direito; Vânia e seu esposo são empresários no ramo de máquinas agrícolas – Rural Máquinas, em Aracajú/SE ; Maurosvan é funcionário público federal, requisitado pela Secretaria de Saúde Municipal de Arapiraca/AL e Alberí Carlos Silva é funcionário municipal de Limoeiro de Anadia/AL e está concluindo o curso de Direito; outros filhos são militares e nenhum quis seguir a carreira de músico.

Discografia
O veterano forrozeiro Bastinho da Sanfona gravou o seu primeiro CD, em 2010, intitulado “Tô Chegando”, com o apoio cultural da Rural Produtos Agropecuários e da Dow AgroSciences. Neste álbum ele incluiu duas homenagens: a primeira ao radialista e cantor Zé do Rojão e a segunda ao radialista e showman Alves Correia, com o qual teve a oportunidade de trabalhar durante 20 anos. Este CD foi produzido por Mário Maia e Lobinho no Estúdio Lobstúdio e masterizado em Recife/PE. O excelente trabalho gráfico da capa foi realizado por Wilson / W Artes.

Os músicos que participaram da gravação deste álbum foram os seguintes: Uziel (guitarra), Márcio (trompete), Kiko (trombone), Flávio (sax-tenor) e Cláudia Santos (back-vocal). Os arranjos, sanfona e vocal são de Bastinho da sanfona.

Nota: Clique nos links abaixo e escute as Músicas do CD “Tô Chegando”:

Faixas:
01. Minha Paixão ( Bastinho da sanfona )
02. Pegar e Ficar ( Mário Maia e Bastinho da Sanfona )
03. Meu Coração Te Chama ( Mário Maia e Bastinho da Sanfona )
04. Tô Chegando [ Instrumental ] / ( Bastinho da Sanfona )
05. Forró Na Vaquejada ( Bastinho da Sanfona e Mário maia )
06. Sabor do Desejo ( Bastinho da sanfona e Mario Maia )
07. Levantar Poeira ( Domingos santos )
08. Rojão do Nordeste [ Instrumental ] / ( Bastinho da
Sanfona ) – Homenagem ao Radialista Zé do Rojão.
09. Mulher Desmantelada ( Mário Maia e Bastinho da Sanfona )
10. Flor Que Cheira ( Bastinho da Sanfona )
11. Entre no Clima ( Léo Nunes, Domingos e Nivaldo Santos )
12. Forró Derrubado [ Instrumental ]/( Bastinho da Sanfona )- (Homenagem ao Radialista Alves Correia).
 
Bastinho da Sanfona & Banda 
Atualmente Bastinho da Sanfona & Banda continua realizando muitos shows por todo o Nordeste brasileiro.[ Por Pedro Jorge / E-mail: pjorge-65@hotmail.com ]
__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
 
BASTINHO DA SANFONA: UMA LENDA NORDESTINA ( Sinopse )
Por Marcelo Amorim
 
     Tocador há mais de 30 anos, Sebastião Carlos relembra os tempos áureos em que se apresentava com grandes mestres, e lamenta a falta de incentivo cultural. Bastinho da Sanfona é o nome artístico de Sebastião Carlos Silva, tocador há mais de 30 anos deste instrumento, que apesar de ter origem estrangeira, faz parte da cultura brasileira e, principalmente, nordestina: a sanfona. Autodidata – não lê partitura, mas toca de “ouvido”-, recebeu a contribuição dos ensinamentos de Miguel Vieira, também sanfoneiro de tradição.Acompanhado de sua Scandlle – sanfona de origem italiana -, considerada pelos músicos como uma das melhores do mundo, Bastinho anima os apreciadores do forró com seus shows por cidades do Nordeste. Exímio tocador, participa ainda das apresentações do radialista Alves Correia, percorrendo circos e festas da região.Na bagagem traz recordações do tempo em que tocou com o grande mestre Luiz Gonzaga, na década de 1970 e ainda com o Trio Nordestino e o músico Dominguinhos. A queixa de Bastinho da Sanfona, como a maioria dos artistas em Arapiraca/AL, é a falta de valorização da cultura no município e, no caso dos sanfoneiros, da tradição em festas juninas.
 
     Da sanfona de Bastinho, que dependendo da região é denominada de acordeon e gaita, sai o autêntico forró pé de serra – a banda é composta ainda por zabumba e triângulo. O sanfoneiro ressalta que além desse estilo, toca o chamado “forró clássico”, que bem poderia ser eletrônico, pois nesse caso sanfoneiro toca acompanhado de bateria, baixo e guitarra.
Bastinho destaca também que Arapiraca vem se tornando conhecida em outras cidades através das apresentações dos artistas arapiraquenses.[ Fonte: (extinto) “Jornal ‘Novo Tribuna de AL'”, 26 de Novembro de 2000 ]

________________________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATOS PARA SHOWS (Bastinho da Sanfona)
Celular: (82) 9915.1999
Residencial: (82) 3521.1636
Comercial: (82) 3521.4551 (“Drogaria Amorim”- Falar com Zelita).

[ Editado por Pedro Jorge / E-mail: pjorge-65@hotmail.com ]

********************************************************************

********************************************************************

LIVRO “ARAPIRACA TERRA DE ARTISTAS (FORRÓ, REGIONAL E CORDELISTAS)” – 1

1.04 l  BASTINHO DA SANFONA 

“Nós, artistas alagoanos representamos o nosso estado, de Norte a Sul do Brasil, mas não somos valorizados pelos nossos governantes. Alagoas é riquíssima em cultura mais pobre em reconhecimento!” – (Bastinho da Sanfona)

Bastinho da Sanfona é o nome artístico de Sebastião Carlos Silva. Ele nasceu no sítio Cachoeira, pertencente ao município de Viçosa (AL). Chegou em Arapiraca (AL) no mês de dezembro de 1964, vindo à passeio na casa de sua irmã, Luzinete (in memoriam), que morava no bairro Teotônio Vilela (antigo Olaria), e gostando da cidade resolveu fixar moradia. Ele é filho do agricultor, Sr. Quintino Carlos Silva, e da parteira, Sra. Verônica Maria da Conceição (in memorians) e, é pai de 12 filhos: sendo oito homens e quatro mulheres.

Profissionalmente o seu primeiro ofício foi o de barbeiro. Trabalhou neste ofício durante 15 anos e, nessa época, já tinha vocação artística e começou a treinar os primeiros acordes em uma sanfona no próprio local de trabalho. O seu mestre foi Miguel Vieira. Em 1970, viajou para São Paulo (SP) e lá desenvolveu ainda mais a sua arte e teve a oportunidade de conhecer Luiz Gonzaga, o Rei do Baião (1912-1989); Jackson do Pandeiro (1919-1982) e os integrantes originais do Trio Nordestino – entre outros grandes nomes da música nordestina. Na capital paulista teve o apoio do cantor e compositor alagoano, Joci Batista, e costumava frequentar a pensão da Dona Bio. Sentindo saudades de Arapiraca só conseguiu passar um ano, em São Paulo. No período em que esteve em São Paulo tocou em diversos salões de festas. Os principais locais em que se apresentou foram os forrós de Zé Bétio e Mário Zan.

De volta a Arapiraca, ele passou a acompanhar o seu mestre, Miguel Vieira, em diversos eventos e no início da década de 1980 excursionou ao lado de Zé do Rojão e João do Pife (in memorians), fazendo a abertura dos shows de Luiz Gonzaga. Esta excursão foi iniciada na cidade de Santana de Ipanema (AL), indo até o estado da Paraíba e encerrando em Arapiraca, com o patrocínio do Fumo Dubom, pertencente ao (saudoso) Sr. Gabi (compadre do Rei do Baião). No ano seguinte excursionaram com o Trio Nordestino. Iniciando em São Miguel dos Campos (AL), indo até a Paraíba, voltando por Pernambuco e encerrando na antiga Capital Brasileira do Fumo. Esta excursão teve a duração de um mês e foi patrocinada pelo Fumo Extraforte, de propriedade do Sr. José Alexandre dos Santos. Na terceira turnê, Miguel Vieira se juntou a Bastinho da Sanfona, Zé do Rojão e João do Pife. Os quatro artistas arapiraquenses excursionaram pelos estados de Alagoas, Sergipe, Pernambuco e Paraíba. Esta excursão teve o patrocínio do Fumo Rei do Nordeste.

No final dos anos 1980, Bastinho dividiu o palco com Sivuca (1930-2006), Elba Ramalho, Jorge de Altinho, Alcymar Monteiro, Oswaldinho e Nando Cordel em shows realizados  no estado de Sergipe: Aracaju, Areia Branca e outras cidades do interior. Nos anos 1990, ele excursionou com o cantor, Valdir Ramos; nos estados de Alagoas, Pernambuco e Bahia. Bastinho da Sanfona foi candidato a vereador em duas eleições: 1982 e 88. Apesar de ter sido bem votado nos dois pleitos eleitorais, não conseguiu se eleger.

Ele gravou, em 2010, o seu primeiro CD intitulado Tô Chegando. Neste disco ele incluiu duas homenagens: Rojão do Nordeste, para Zé do Rojão (in memoriam); e Forró Derrubado para o radialista e showman, Alves Correia – com o qual teve a oportunidade de trabalhar durante 20 anos. Este CD foi produzido por Mário Maia e Lobinho (Estúdio Lobstúdio). O trabalho gráfico foi realizado por Wilson (W Artes). Os músicos que participaram da gravação foram: Wziel (guitarra), Márcio & Kiko (trombones), Flávio (sax-tenor) e Cláudia Santos (back-vocal). Os arranjos, sanfona e vocal são de Bastinho da Sanfona.

Ele sempre relembra os tempos áureos em que se apresentava com grandes mestres, e lamenta a falta de incentivo cultural. Ele toca acordeon há mais de 40 anos. Para aprender recebeu os ensinamentos de Miguel Vieira – também sanfoneiro de tradição. Ele é um exímio tocador e na bagagem traz recordações do tempo em que tocou com Luiz Gonzaga (1912-1989), Trio Nordestino e Dominguinhos (1941-2013); na década de 1970.

Da sanfona de Bastinho sai o autêntico forró pé de serra. O sanfoneiro ressalta que além desse estilo toca o chamado forró clássico, acompanhado de bateria, baixo e guitarra. Ele é um dos ícones da musicalidade arapiraquense e destaca que a Terra de Manoel André e Esperidião Rodrigues vem se tornando conhecida em outros lugares através das apresentações de seus artistas. Atualmente, Bastinho da Sanfona, continua realizando vários shows e participando ativamente do projeto Cultura na Praça, comandado pelo Mestre Afrísio Acácio do Acordeon.

Homenagem (Bastinho da Sanfona):

  • “Em minha recente visita ao município de Arapiraca tive o prazer de rever Bastinho da Sanfona. Ele é cantor, compositor e sanfoneiro da melhor qualidade e já acompanhou grandes artistas como João do Pife, Gerson Filho e Clemilda (in memorians); Trio Nordestino, Miguel Vieira, Alves Correia, entre outros.”(José Lessa Gama/Zé Lessa – site Forró Alagoano, Maceió/AL)

Fontes: blog Arapiraca Legal – Pedro Jorge; site Forró Alagoano – José Lessa Gama/Zé Lessa; jornais Tribuna Independente (box Cultura da coluna Agreste do caderno Tribuna TV) – Pedro Jorge e (extinto) Novo Tribuna de Alagoas – Marcelo Amorim.

 

Uma resposta para “Bastinho da Sanfona

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s