Eloísio Ribeiro de Magalhães


                                                
                                                           

Eloísio Ribeiro

                                                              
 
“Eloísio deixou um exemplo de cidadania e civismo para a posteridade, e a população de Arapiraca/AL vai lembrar sempre, com saudade, do ex-combatente desfilando á frente do seu grupo de escoteiros, no evento em comemoração da Emancipação Política de Arapiraca no dia 30 de Outubro”.
Edler Ribeiro
[ Fonte (frase): Jornal “Alagoas em Tempo”, 21 a 27 de agosto de 2006 ]
 
 
ELOÍZIO RIBEIRO DE MAGALHÃES: EXEMPLO DE CIDADANIA
Por Zezito Guedes ( Historiador, artista plástico e folclorista )
 
Uma figura humana que merece o devido registro num livro como Arapiraca Através do Tempo, sem sombra de dúvida, o homem que é o ex-combatente da 2ª Guerra Mundial, Eloízio Ribeiro de Magalhães. Ramo ascendente das famílias raízes de Arapiraca/AL, nasceu em 23 de janeiro de 1923, filho do comerciante, tabelião e ex-prefeito da Cidade por duas gestões, João Ribeiro Lima e Elvira Ribeiro de Magalhães, estudou as primeiras letras com o “Profº Minguinho” e a “Profª Chiquinha Macedo”, todavia, como o menino mostrava-se um pouco rebelde, como medida disciplinar, seu pai o internou na Escola Agro-Técnica Floriano Peixoto, dirigida pelo austero Dr. José Tupinambá do Monte, onde recebeu as primeiras noções de cidadania e escotismo, permanecendo em Satuba/AL até 1939.
 
Em 1940, deixou Arapiraca e viajou para o Rio de Janeiro/RJ, onde no ano seguinte ingressou nas fileiras do Exército Brasileiro. Em 1942, servia no primeiro Regimento de Infantaria Anti-Áerea e, após um atrito com o instrutor, sargento Edson, como medida disciplinar, foi transferido para Cabo Frio/RJ, onde permaneceu por cinco meses. De volta ao regimento de origem, mais aiante, em 1944, apresenta-se ao capitão Widman para servir como voluntário na 2ª Guerra Mundial, deflagrada na Europa, tendo o oficial superior recusado a sua proposta, porém, observando a sua coragem, o seu espírito patriótico, resolveu atendê-lo e autorizou o voluntário a se apresentar na enfermaria do Regimento, para se submeter a uma série de exames, tomar as vacinas de praxe e juntar-se a tropa para treinamento no Campo do Gericinol.Após os 90 dias de treinamento, o soldado Eloísio Ribeiro foi integrado ao 11º Regimento de Infantaria e a tropa composta por 10.000 homens, tomou o trem que a conduziu ao Porto de Mauá e, logo após embarcando em vários navios, sob o comando do general Mascarenhas de Morais.Superlotado, o General Mage, onde Eloísio embarcou, cortou o Oceano Atlântico durante 14 dias e 14 noites, desembarcando a Força Aérea Brasileira no Porto de Nápoles, no dia 5 de maio de 1944, onde já aguardava uma frota de 11 barcaças, para transportar a tropa até a cidade de Livorno que, em seguida acamparia em Pisa, para um treinamento de 15 dias e, logo após seguir para o front, onde travaria os primeiros combates contra as forças alemães.

As primeiras ações da FEB (Força Aérea Brasileira) foram as tomadas de Massaroa, Monte Caine e Le Pive e os combates de Liano e Belvedere. Logo após, La Serra e o célebre combate – a tomada de Monte Castelo. Seguindo-se as ocupações de Caselina, Castel Novo de Gafanhana. Outro combate pesado – Montese, Castel Novo de Soprassasso, Torre de Nerone, Modena, Fornovo de Taro, e Colequio a batalha da vitória das Forças Aliadas muito embora Eloísio Ribeiro ainda continuasse os combates até Alexandria e Lago do Como, seguindo-se a rendição do exército alemão e a assinatura do Tratado da Paz, no dia 8 de maio de 1945.

Os combatentes da FEB, destacaram-se pela bravura ao derrotarem os alemães da Divisão 148 “PANZER”, famosa participação nos combates da África.

Terminada a II Guerra Mundial, o presidente de Portugal, Oliveira Salazar, convidou o 11º Regimento da Infantaria para o desfile da vitória, na avenida da Liberdade e os 1500 pracinhas da FEB, foram delirantemente aplaudidos como heróis pela multidão portuguesa. No dia seguinte, as tropas brasileiras embarcaram no navio Duque de Caxias e, de volta ao Brasil, desembarcaram no Rio de Janeiro. Desfilaram como HERÓIS DA PÁTRIA, na Av. Rio Branco, onde foram ovacionados pla multidão emocionada. O nosso ex-combatente Eloísio Ribeiro foi condecorado com a Medalha de Guerra, Cruz de Combate 2ª Classe e Medalha da Campanha da Itália.

Ao voltar da II Guerra Mundial, com a glória de ex-combatente, Eloísio Ribeiro se estabeleceu em sua terra natal, Arapiraca, e casado com Floracy Umbelina da Silva Ribeiro, de cujo enlace nasceu Ymma Suzy Lúcio Ribeiro, não ficou ocioso, passou a pesquisar as nossas matas nativas, recursos minerais, principalmente as nossas árvores em vias de extinção e os mais variados tipos de orquídeas, não só do município, mas de todo o Agreste, instalando, inclusive, um orquidário em sua residência.

Lembro-me, que na década de 1950 a 60, ele costumava convidar familiares e amigos para comemorar o desabrochar de uma orquídea e, com a sala perfumada pela flor, ouvia-se músicas previamente selecionadas até a meia noite, com bons vinhos para os visitantes, não faltando Leônio Fausto no evento.

Além de desenvolver um excelente trabalho em favor da Ecologia, Eloísio, ainda planta a árvore Arapiraca nas praças públicas, nas escolas e nos clubes sociais, com o objetivo de preservar e mostrar para a juventude arapiraquense o que ainda resta de nossas árvores nativas.

Um importante serviço á comunidade foi a criação do Bandeirantismo, em 1969, preparando adolescentes para a vida em contato com a natureza. No ano seguinte, instalada em Arapiraca o primeiro Grupo de Escoteiros que desenvolveu um importante serviço em prol da juventude de nossa cidade e, apesar da idade, ainda comanda os Escoteiros em longas caminhadas escalando a Serra da Mangabeira e outros pontos do município.

Atualmente, o ex-pracinha da FEB, ocupa o posto de 1º Tenente da Reserva do Exército e, continua influindo positivamente na formação de diversas gerações no que diz respeito a verdadeira cidadania, no que Eloízio Ribeiro constitui um exemplo que deve servir como espelho para os jovens arapiraquenses.

[ Fonte: Livro “Arapiraca Através do Tempo”, 1999 ]

________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
 
 
HERÓI DA 2ª GUERRA MORRE AOS 84 ANOS
 
Arapiraca ficou mais pobre com a morte de seu herói da 2ª Guerra Mundial, Eloísio Ribeiro de Magalhães. Sua trajetória de vida foi marcada pelo amor a pátria, ao escotismo e á ecologia.
 
Natural de Arapiraca/AL, nascido no dia 23 de Janeiro de 1923, concluiu os primeiros estudos como interno da Escola Agro Técnica Floriano Peixoto. Naquele estabelecimento tradicional de ensino recebeu importantes noções de cidadania e teve a paixão despertada pela ecologia e pelo escotismo.
 
Em 1939, com 16 anos, retornou a Arapiraca e um ano depois viajou para o Rio de Janeiro/RJ com o objetivo de servir o Exército. Dois anos depois já integrava o 1º Regimento de Infantaria Anti-Aérea. Aos 21 anos de idade,
apresentou-se ao Capitão Widman pedindo para servir a FEB (Força Experdicionária Brasileira) na segunda guerra mundial. Inicialmente seu pedido foi negado, mas de tanto insistir conseguiu convencer o Capitão Widman a enviá-lo para treinamento no Campo de Gericinol.
 
Após o treinamento, Eloísio fora integrado ao 11º Regimento de Infantaria, comandado pelo General Mascarenhas de Moraes, e dias após cruzou o Atlântico a bordo do navio General Magé até o porto de Nápoles na Itália.
 
O nosso herói arapiraquense se atracou na Itália no dia 5 de Maio de 1944, onde faria um intensivo treinamento na cidade de Pisa e dias depois foi para o front de guerra.
 
Eloísio Ribeiro participou de várias batalhas nos campos europeus, sofreu com a explosão do seu jipe e por pouco não morreu. Enfrentou o rigoroso inverno europeu, com variações térmicas de 15º a 5º, no entanto deixou seu nome para a história em uma importante vitória da FEB, a tomada de Monte Castelo. Após o regresso da segunda guerra mundial passou um tempo no Rio de Janeiro/RJ e retornou a sua terra natal.
 

Eloísio Ribeiro

PAIXÃO PELO ESCOTISMO
 
 
Já aposentado em Arapiraca, casado e pai de uma filha, passou a pesquisar as plantas nativas da região com o objetivo de mantê-las preservadas. Plantou mudas de Arapiraca em várias praças onde muitas ainda permanecem vivas.
Segundo o professor e pesquisador Zezito Guedes, Eloísio Ribeiro era tão apaixonado pelas orquídeas nativas do Agreste que montou um orquidário no quintal da sua casa.
 
Em determinada época do ano, convidava amigos e parentes para presenciar o desabrochar de uma orquídea. Os convidados eram recepcionados com um bom vinho, enquanto ouviam agradáveis músicas e sentiam o perfume exalado pelas flores.
 
Em 1970, Eloísio fundou o Grupo de Escoteiros “Marechal João Batista Mascarenhas de Morais”. Este movimento atraiu muitos jovens em Arapiraca e foi uma das suas grandes paixões. Dedicou-se de corpo e alma a causa, sempre agendando acampamentos e atividades escoteiras para as crianças e os jovens participantes do movimento. O grupo de escoteiros participava de todas as solenidades de atos cívicos e do tradicional desfile da Emancipação Política de Arapiraca, no dia 30 de Outubro.
 

O ÚLTIMO ADEUS / Arapiraca se Despediu do Seu Filho Ilustre Com Homenagens e Relembrando o Seu Passado Glorioso

No seu sepultamento, o povo de Arapiraca demonstrou o quanto o nosso herói era querido e admirado. Uma multidão acompanhou o sepultamento até o cemitério Pio XII. O caixão foi conduzido no caminhão do Corpo de Bombeiros com a Bandeira Nacional. Ele foi um exemplo de brasileiro, de cidadão e sobretudo de cidadania.

Para o advogado e defensor público aposentado Edler Ribeiro, Eloísio Ribeiro Magalhães deu um voo para a liberdade com sua coragem, bravura e, sobretudo, cidadania e exemplo de amor a Arapiraca, Alagoas e ao Brasil.
Explicou Edler Ribeiro que Eloísio deu uma lição de ecologia e amor á natureza. Fez um reconhecimento da flora de todo município de Arapiraca e região Agreste. Descobriu várias espécies de orquídeas e protegeu vários animais ameaçados de extinção.

[ Fonte: Jornal “Alagoas em Tempo”, de 21 a 27 de agosto de 2006 ]

________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

ARAPIRACA E A CAMPANHA DA FEB – Por Zezito Guedes (Historiador, folclorista e artista plástico)

Em 1944, Arapiraca/AL, mais do que nunca,estava solidária com a campanha da FEB (Força Experdicionária Brasileira), na II Guerra Mundial, cujo cenário eram os campos gelados da Itália.

A sociedade naquela fase difícil, estava seriamente empenhada em campanhas filantrópicas, cujo objetivo era angariar fundos que seriam enviados, através da LBA, para os nossos pracinhas que lutavam com bravura nos combates de Massarosa, Monte Prano, II Monte, Monte Cataiane, Le Piéve, Monte Castelo, Montese, Coléquio e Fornovo. Imbuída de sentimentos patrióticos e, sobretudo, emocionada com a partida de muitos jovens do Município, que foram convocados para servir á Pátria: Eloísio Ribeiro Magalhães, Claúdio Lúcio de Magalhães, José Inácio de Magalhães, José Gomes de Magalhães, José Rodrigues de Rezende, João Batista e José Gerônimo.

Arapiraca se entregou de corpo e alma á campanha, tendo á frente, dr. João de Oliveira, seua esposa D. Margarida, presidente da LBA; o prefeito Manoel Leal; o delegado Vicente Ramos; as professoras Maria e Amália Fragoso, Maroquinha Brito, Estela Lúcio, Suinete Brito, Palmira Lùcio, Cory Menezes, Mariquinha Gomes, Cristina, Carmelita e Caramosina Brito, Olival Gomes, a orquestra com Virgílio Rodrigues, Antônio Leite, Gondim Rodrigues, “Mestre Jovino”, Chico Leite, Jaime Sinésio e Jerônimo.

Essa comitiva percorria as ruas de Arapiraca e, os distritos de Craíbas, Folha Miúda, Lagoa da Canoa e Feira Grande, recolhendo doações – dinheiro, joias, alumínio, metais e suéteres de tricô que as moças faziam para os nossos combatentes enfrentarem o frio da Europa.

A comitiva saia diariamente da residência do dr. João de Oliveira, situada na Av. Rio Branco, com quatro moças conduzindo o Pavilhão Nacional, duas jovens segurando a faixa: VIVA O BRASIL, ABAIXO O EIXO e, o resto do grupo cantando os hinos: a Canção do Marinheiro, o Hino Nacional, que causavam muita emoção e muitas pessoas choravam por onde a comitiva passava.

Eram as mães dos pracinhas, aflitas com os horrores da II Guerra, pois não acreditavam que seus filhos voltassem com vida dos campos de batalha.

[ Fonte: Livro “Arapiraca Através do Tempo”, 1999 ]

________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

TRIBUTO

Os administradores do Blog Arapiraca Legal, Gilvan Juvino e Pedro Jorge, e o Grupo de Escoteiros – 003/AL – MJBMM (Marechal João Batista Mascarenhas de Morais) prestam um tributo ao saudoso e inesquecível Eloíso Ribeiro e uma homenagem aos 40 anos de fundação do Grupo.

SEMPRE ALERTA !!! – Quarenta anos de 003/AL (06/12/2010)

Quarenta anos atrás nasce de uma ideia brilhante e encantadora de um homem cheio de sonhos e pensamentos, um Grupo de Escoteiros, que teve suas batalhas, ideias, sem fraquejar vencendo e colocando em prática tudo, e que hoje dar frutos.

Quarenta anos de história, encantando a todos, fazendo de um grupo de amigos uma família, obrigado pela sua existência Grupo de Escoteiro Marechal João Batista Mascarenhas de Morais 003/AL, por ter influenciado no meu crescimento intelectual, e obrigado a todos que passaram pelo movimento escoteiro, e que vocês possam saber que fez parte de um pedacinho da história do escotismo em Arapiraca/AL. Seu Eloísio Ribeiro de Magalhães onde quer que esteja está guardando e auxiliando em todos os passos e decisões do nosso grupo.

E que a intensa convivência em todos os acampamentos e excursões feitas nesse grupo, seja guardada para sempre nos corações de todos, para que quando se lembrarem do movimento de escoteiro lembre-se de todos os momentos bons partilhados com suas patrulhas e grupo. E que nunca acabe a surpreendente magia do escotismo.

Parabéns Grupo de Escoteiros Marechal João Batista Mascarenhas de Morais! Sempre Alerta Para Servir!

NOTA

O grupo de Escoteiros Marechal João Batista Mascarenhas de Morais 003 AL, atua em Arapiraca e é um grupo sem fins lucrativos. Neste ano de 2010, faz 40 anos que o ex-combatente da segunda guerra mundial Eloísio Ribeiro de Magalhães fundou o movimento escoteiro aqui em Arapiraca.

[Fonte: gemjmm.blogspot.com ]

[ Editado por Pedro Jorge / E-mail: pjorge-65@hotmail.com ]

________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

SAIBA MAIS ( Sobre o Escotismo)

Grupo de Escoteiros M.J.B.M.M.

Blog: gemjbmm.blogspot.com

Endereço: Rua Cícero torres – Bairro Brasília, Arapiraca/AL

 
Pesquisa:
Blog Arapiraca Legal
Contato:
E-mail: blogassociad1@live.com
 
Anúncios

3 Respostas para “Eloísio Ribeiro de Magalhães

  1. Vocês do Blog Arapiraca Legal foram muito felizes na inciativa em divulgar e manter viva a história de Arapiraca através das pessoas que viveram e vivem em nossa querida Cidade.

    Em particular fiquei grata pela atenção que foi dada ao meu pai, se permitir sugiro alguns nomes que podem ser importantes para o Blog: Dr. Judá Fernandes (escritor e médico) e Miguel Valeriano (professor e Diácono ).

    Sou professora e trabalho na Escola Monsenhor José soares, no Bairro Brasiliana (veja Blog da escola). Vou divulgar o Blog Arapiraca Legal junto aos professores, pois creio que é de grande valia.
    Atenciosamente: Ymma Susy Ribeiro ( por E-mail )

    Blog: escolamsoares.blogspot.com.

  2. Uma coisa não citada no blog talvez porque não se saber.
    Em um determinando período o grupo Escoteiro 3º AL foi fechado.
    Foi exatamente neste período que tive o prazer de conhecer o Chefe Eloísio, um homem de grande valor.
    Juntamos um grupo no qual denominamos de ADEFA (Associação de Defesa Florestal de Arapiraca), éramos ao todo 8 adolescentes e com a liderança do Chefe fizemos várias atividades ecológicas em toda região do Agreste.
    Em sua Belina que era capaz de subir serras e entrar nos mais estranhos terrenos, bons tempos aqueles…
    Acredito que 2 mil árvores neste período foram prantadas em nossa região.
    Depois de uns 2 anos reabrimos o grupo escoteiro no qual tive o prazer de fazer parte.

    José Zito (Ziprax)

  3. Um Cordial Sempre Alerta!
    Meu nome é Alysson Tenório, eu fui o último chefe do Grupo Mascarenhas de Morais e tive o prazer de conviver com o Sr. Eloísio Ribeiro. É impossível escrever ou descrever quem e o que foi o Sr. Eloísio, o que ele fez por esta cidade e por seus jovens – ele foi uma pessoa em vida incomparável, a melhor e mais agradável que eu jamis tive o prazer de conviver.
    Passei 15 anos com escoteiros do Sr. Eloísio e foram anos sublimes e incomparáveis, uma pessoa que não guardava mágoa ou raiva de nada e nem de ninguém, dotado de uma bondade inacreditável. Um ser de uma força de vontade e laços de família incríveis, meu bom amigo. Sinto uma falta incalculável de sua presença. Onde quer que você esteja olhe pelos seus meninos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s