30 de Outubro de 1924/2014


AlfaG Gravaçoe stexto 1

AlfaG Gravaçoes

Esperidião Rodrigues

Esperidião Rodrigues

                                                          
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DE ARAPIRACA
 
Após a morte de Manoel André, em 1890, o seu sobrinho Esperidião Rodrigues da Silva continuou sua obra visando elevar cada vez mais o nome e o prestígio do então povoado de Arapiraca, fazendo jus ao progresso e capacidade de trabalho de sua gente.
 
A parti de 1890, Esperidião Rodrigues assumiu a liderança política, perdendo-a logo depois por apoiar uma posição contrária à do Barão de Traipú. 
 
A esta altura, o povoado de Arapiraca  superava Limoeiro de Anadia, sede do município. O desejo de Emancipação estava no coração de todos os arapiraquenses. Mas a emancipação era difícil quase impossível. Alagoas vivia conturbada por crises políticas sociais.
 
Em 1908 Esperidião Rodrigues mais uma vez assume a liderança política e organiza a primeira banda de música de Arapiraca. Chamava-se ” Sociedade Musical União Arapiraquense “. No ano seguinte foi criado o Tiro de Guerra.
 
Um dos capítulos mais importantes da história de Arapiraca e que merece registro é sem dúvida a luta empreendida pelo líder da comunidade major Esperidião Rodrigues da Silva, a parti de 1918 quando  assumiu o comando da campanha em prol da Emancipação Política de Distrito de Arapiraca . 
 
Foram anos de preocupações e sacrifícios, enfrentando pacientemente pelo líder da campanha, realizando reuniões, preparando relatórios sobre a área do povoado, número de imóveis, de habitantes, de propriedades rurais, atividades comerciais, produção agrícola, enfim, toda economia local, para de posse destes subsídios provar que o distrito de Arapiraca poderia sobreviver emancipado de Limoeiro de Anadia.
 
O líder Esperidião Rodrigues, impaciente com a burocracia da tramitação do processo, tomou uma atitude: viajaria a Maceió e só voltaria para Arapiraca após o resultado final – ou tudo, ou nada. Foi com essa decisão que chegou à capital do Estado, na primeira quinzena de abril e durante 40 dias permaneceu ao lado do deputado Odilon Auto, acompanhando a tramitação do Projeto Lei Nº 1.099, que após vários debates e discussões acaloradas, foi finalmente aprovada pela Assembleia Legislativa e sancionada pelo governador Dr. José Fernandes Lima.
 
Na noite de 31 de maio de 1924, após lutar, insistiu junto ao então governador Dr. José Fernandes Lima, Esperidião Rodrigues recebeu um telegrama onde dizia:
 
Coronel Esperidião Rodrigues.
Arapiraca – Limoeiro.
 
Acabo de sancionar Projeto Lei criando Município Arapiraca com cuja população laboriosa, adiantada e progressista me congratulo por intermédio amigo grande incansável, paladino dessa conquista que representa ato de justiça dos poderes públicos a um povo que se levanta por si próprio, que tem iniciativa e que progride.
Cordiais saudações.
 
(Ass.) Fernandes Lima
 Governador do Estado.
 
FONTE
Livro: Raízes e Frutos de Arapiraca
Autor: Profº Valdemar Oliveira de Macedo.
 
[ Editado por Gilvan Juvino - E-mail: gilvanjuvino@yahoo.com ]
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
 
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DE ARAPIRACA – Por Zezito Guedes
 
Um dos capítulos mais importantes da história de Arapiraca e que merece registro é sem dúvida, a luta empreendida pelo líder da emancipação major Esperidião Rodrigues da Silva, a partir de 1918, quando assumiu o comando da campanha em prol da Emancipação Política do Distrito de Arapiraca.
 
Foram anos de preocupações e sacrifícios, enfrentados pacientemente pelo líder da campanha, realizando reuniões, preparando relatórios sobre a área do povoado, número de imóveis, de habitantes, de propriedades rurais, atividades comerciais, produção agrícola, enfim, toda economia local, para de posse desses subsídios provar que o Distrito de Arapiraca, poderia sobreviver emancipado de Limoeiro de Anadia.
 
Convém frisar, que naquela época ainda não existia automóvel no interior e as exaustivas viagens à capital do Estado, eram realizadas a cavalo e o Major Esperidião Rodrigues tinha que inevitavelmente passar por Limoeiro de Anadia, cujas lideranças políticas envidavam esforços tentando a todo custo obstruir o trabalho e a tramitação do processo de emancipação do distrito de Arapiraca.
 
Então, as hostilidades eram constantes e quando o nosso libertador passava humildemente por Limoeiro de Anadia, em demanda da capital Maceió, ouvia impropérios e achincalhes dirigidos a sua pessoa, por causa de sua luta em prol da Emancipação de Arapiraca, numa fase em que imperava a oligarquia da “Família Barbosa”, que tinha livre acesso aos bastidores do Palácio dos Martírios, como políticos de situação e bem prestigiados.Homem abnegado, era uma verdadeira peregrinação que o major Esperidião Rodrigues fazia há anos, frequentando secretarias, Assembleia Legislativa, Tribunal de Justiça, Palácio do Governo e outros órgãos, onde o líder da campanha ficou muito conhecido e os funcionários e assessores, quando o avistavam ao longe comentavam entre si: – “Lá vem o homem dos olhos azuis outra vez!”. O tempo foi passando até que enfim, apareceu uma luz no fim do túnel e o panorama começa a clarear com a presença oportuna do deputado Odilon Auto (natural de Pilar/AL) que acompanhando o sacrifício do Major Esperidião Rodrigues, resolveu apoiar e defender a causa da Emancipação Política do então distrito, reivindicada pelo laborioso povo de Arapiraca. Agora, de posse da documentação necessária, o deputado Odilon Auto se engaja ma luta e passa a preparar o projeto, para enfrentar a fase mais difícil: convencer a maioria dos deputados, e votar pela aprovação do Projeto de Lei para posterior sanção pelo governador Dr. José Fernandes Lima. Foi uma tarefa árdua enfrentada pelo deputado Odilon Auto, que durante meses se empenhou com toda capacidade de trabalho, pela justa causa da emancipação do distrito de Arapiraca, contrariando os interesses dos políticos de Limoeiro de Anadia, que não desejavam perder a renda mensal do seu mais importante distrito que era Arapiraca.
 
O líder Esperidião Rodrigues, impaciente com a burocracia da tramitação do processo, tomou uma atitude: viajaria a Maceió e só voltaria para Arapiraca após o resultado final – ou tudo ou nada. Foi com essa decisão que chegou a capital na primeira quinzena de abril e durante 40 dias permaneceu ao lado do deputado Odilon Auto, acompanhando a tramitação do Projeto de Lei nº 1009, que após vários debates e discussões acaloradas, foi finalmente aprovado pela Assembleia Legislativa e sancionada pelo governador dr. José Fernandes Lima, no dia 30 de maio de 1924. Foi um relevante serviço prestado pelo deputado Odilon Auto a causa da emancipação e uma grande vitória para o líder da campanha major Esperidião Rodrigues da Silva, o grande idealista.
 
[ Fonte: Livro "Arapiraca Através do Tempo", 1999 / http://www.cma.al.gov.br ]
[ Editado por Pedro Jorge / E-mail: pjorge-65@hotmail.com  ]
 ____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
 
2014: 90 ANOS DE EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DE ARAPIRACA/AL
 
Uma planície fértil e rica em árvores frondosas, assim foi descrita a região onde hoje se encontra Arapiraca/AL. Nesse lugar iniciou o povoado chamado, desde a origem, de Arapiraca, uma referência á árvore que tem o mesmo nome.
 
Através do Projeto de Lei Nº 1009, foi finalmente aprovada pela Assembleia Legislativa e sancionada pelo governador Dr. José Fernandes Lima, no dia 30 de maio de 1924, a criação do município de Arapiraca, mas a festa e Emancipação Política só ocorreu em 30 de outubro de 1924, com a edificação do primeiro sobrado da cidade, chamado de Paço Municipal. Este local foi a primeira sede do governo e, 30 de outubro ficou marcado como o dia da Emancipação de Arapiraca. 
 
A cultura do fumo teve importância fundamental para elevação de Arapiraca ao status de município, uma vez que o conhecido “ouro verde” brotava nos latifúndios das tradicionais famílias que resolveram se estabelecer no local. Numa sociedade eminentemente rural, Arapiraca passou a ter um destaque nacional na cultura fumageira, chegando até mesmo a ostentar o título de capital brasileira do fumo, por ser o município com a maior produção de fumo do país.
 
Em paralelo ao desenvolvimento do fumo, Arapiraca também ficou conhecida por sua feira livre ás segundas-feiras, quando comerciantes de várias cidades vizinhas vinham ao Município vender seus produtos. Um dos fatores que favoreceram e deram fama ao comércio arapiraquense foi a sua localização na região central do Estado e seu constante crescimento.
 
[ Fonte: Revista "O Mensageiro", Arapiraca/AL - Adaptado por Pedro Jorge ]
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
 
MOBILIZAÇÃO RESULTA NA EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DE ARAPIRACA – Por Roberto Gonçalves (Jornalista)
 
Arapiraca surgiu da tenacidade do sertanejo Manoel André Correia dos Santos, quando se instalou nas terras que hoje formam o município conhecido nacionalmente como “Terra do Fumo”. Estas foram as palavras do deputado Odilon Auto da Cruz Oliveira, ao fazer um breve histórico da Emancipação política de Arapiraca.
 
A ânsia de libertação surgiu das bases populares e lideranças municipais em 1913. Esperidião Rodrigues da Silva, filho do colono José Veríssimo e sobrinho de Manoel André, colhia assinaturas dos eleitores de distritos objetivando emancipar o então povoado.
 
Veríssimo também liderou a mobilização popular que entregou o resultado do abaixo-assinado que foi entregue no dia 16 de abril a comissão da Câmara dos Deputados. O documento continha 104 assinaturas reivindicando a Emancipação Política de Arapiraca.
 
Se passaram dois anos até que as autoridades decidiram transformar em projeto de lei a grande aspiração do povo de Arapiraca. Mesmo assim, o documento permaneceu estacionário sem nenhuma evolução, uma vez que o governador Fernandes Lima, era apenas a mudança da sede do Município de Limoeiro de Anadia para o então povoado de Arapiraca, fato que não concordava o coronel Esperidião Rodrigues.
 
Muito magoado com a decisão do governador, Esperidião Rodrigues transferiu-se para o município de Igreja Nova. Finalmente, em 15 de abril de 1924, Esperidião Rodrigues, retornava trazendo consigo todos os dados concernentes ao povoado.
 
 
Na Câmara dos Deputados com o apoio do deputado Odilon Auto, conseguiu o número legal de assinaturas. Em 17 de maio de 1924, o projeto é aprovado em 3ª discussão. Surgiram a partir deste momento, contatos com o governador Fernandes Lima e o Senado Estadual, em 28 de maio de 1928, o Projeto de Emancipação é aprovado em 3ª discussão.
 
Em maio de 1924, o governador Fernandes Lima sancionou a Lei Nº 1.009 de Emancipação Política de Arapiraca, que foi publicada no dia 31 de maio de 1924 pelo Diário Oficial do Estado de Alagoas. Em 17 de outubro de 1924 foi sancionada a Lei Nº 1.078, que dispunha sobre a nomeação de uma Junta Governista para administração dos municípios que foram criados.
 
Nesta mesma data foi nomeada a Junta Governativa composta de membros de destaque do município recém criado. A Junta Governativa foi composta por Francisco de Paula Magalhães, que governou o Município de 30 de outubro de 1924 a 7 de janeiro de 1925.
 
[ Fonte: Informativo da Prefeitura Municipal de Arapiraca/AL ]
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
 
EXPANSÃO DA FEIRA LIVRE MOTIVOU A EMANCIPAÇÃO –  Por Roberto Gonçalves (Jornalista)
 
A tradicional feira de Arapiraca/Al, cantada e decantada em prosa e versos pelos violeiros e repentistas, teve sua origem em 1848 e foi a grande propulsora para a Emancipação do município. A feira livre cresceu quando a cidade era apenas um simples povoado. O advento da Cultura Fumageira a fez progredir atraindo para o município uma grande população. Segundo o historiador Nelson Rodrigues, em 1920, a renda da feira livre de Arapiraca superava a de Limoeiro de Anadia/Al, gerando a partir deste fato, o movimento pela Emancipação que ocorreu em 30 de outubro de 1924.
 
Atualmente, a feira está localizada em ruas próximas ao novo Mercado Público Municipal e continua, ás segundas-feiras, com uma grande concentração de pessoas.
 
Ruas do Centro Recebem Nomes de Produtos Vendidos na Feira 
 
Por sua importância, a feira livre de Arapiraca – e os produtos comercializados -, deram nomes a várias ruas do centro da Cidade, como a “feira do peixe” (atual rua Professor Domingos Rodrigues), “rua do carvão” (atual rua 7 de Setembro), “Feira dos móveis” (atual rua Pedro Correia), “rua do coco” (atual rua Olavo Bilac) e “rua das frutas” (atual rua Santa Terezinha).
 
O historiador Zezito Guedes costuma dizer que a feira é o refúgio da população de baixa renda. “Na ‘feira do peixe’ a população carente se abastece do cará, da traíra e do jundiá”, observa. Segundo o historiador, a modernidade não deve tirar as tradições e as raízes da feira. “Os raizeiros devem continuar vendendo suas meizinhas. a feira não pode perder o seu folclore com os seus cantores de coco, emboladores, repentistas e violeiros”, defende.
 
[ Fonte: Informativo da Prefeitura Municipal de Arapiraca/AL ] ______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
 
AS EMOÇÕES DA EMANCIPAÇÃO DE ARAPIRACA – Por Zezito Guedes (historiador e folclorista)
 
Quando amanheceu o dia 30 de outubro de 1924, foi uma verdadeira apoteose, um deslumbramento para o povo de Arapiraca que sonhava com esse dia há mais de 10 anos. Era uma questão de honra, libertar o distrito de Arapiraca de Limoeiro de Anadia/AL e da oligarquia dos “Barbosa” que imperava naquela época. Para comemorar a grande festa os jovens colocaram faixas em vários pontos e ornamentaram as ruas com luxuosos cortes de seda doados pelos comerciantes: cel. José Farias, José Magalhães, João Ribeiro Lima, capitão Chico Preto, Firmino Leite, Manoel Evaristo e José Leite. Ás 5h da manhã houve salva de tiros executados pelo Tiro de Guerra 657, que proporcionou a primeira emoção da comunidade que experimentava o sentimento cívico, o espírito de cidadania e a independência. Em seguida a banda de música União Arapiraquense saiu ás ruas para abrilhantar as cerimônias da Emancipação e os acordes arrancavam risos e lágrimas do povo nas ruas. 
 
As girândolas de fogos ecoavam sem cessar aumentando a euforia do povo que se aglomerava nas ruas. Naquela época, as ruas denominavam: Quadro, Rua Nova, Pinga-Fogo, Rua do Comércio e a Rua da Igreja. As ruas somente foram nomeadas, em 1925, pelo prefeito Esperidião Rodrigues. O centro de todas as atenções era a figura do líder da Emancipação – Esperidião Rodrigues, que na última fase do processo, permaneceu durante 40 dias em Maceió, e somente voltou quando a Assembleia Legislativa aprovou o Projeto de Emancipação de autoria do deputado Odilon Auto, braço direito de Esperidião Rodrigues na campanha pela liberdade. 
 
Após a Missa em Ação de Graças, houve um almoço na residência de Manoel Leão, cujo destaque foi a presença do governador Costa Rego e de sua comitiva. A solenidade de posse e o baile comemorativo ocorreram no sobrado de Antônio Apolinário, que a partir do momento passou a ser chamado Paço Municipal. O orador oficial foi Olegário Magalhães, abrilhantaram todas as solenidades do evento a Banda da Escola Musical União Arapiraquense regida pelo maestro e os músicos Serapião Rodrigues de Macedo, Juvino Cavalcante, Nezinho Gonzaga, Firmino Magalhães, Toinho Rodrigues, Chico Leite, Genésio Rodrigues, Lau Leite, Mestre Tôta, Gondim Rodrigues, João Nunes e Juvêncio Rodrigues.
[ Fonte: Informativo da Prefeitura Municipal de Arapiraca/AL ]
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

ARAPIRACA – 90 Anos

ARAPIRACA  – 90 Anos

Começou outubro. Um mês muito, muito especial. Pois nele nossa querida Arapiraca/AL comemora sua Emancipação. E serão 90 aninhos de história, desenvolvimento, de histórias. Estamos preparando uma festa bonita, embora limitada às restrições orçamentárias e financeiras que o momento exige. Mesmo assim estaremos comemorando com quem mais merece: o povo!

Resgatando imagens e histórias de nossa cidade, de muitos e queridos personagens. Porque essa Arapiraca que tanto amamos só existe pela força, pelo amor e pela participação de cada um. Essa Arapiraca é mesmo uma cidade feita por todos! – Célia Rocha (prefeita de Arapiraca)

______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

90 ANOS – Arapiraca, Uma Cidade Feita Para Todos!

O mais importante de Arapiraca são as pessoas. Essa gente que, ao longo desses 90 anos de Emancipação Política e mais o período que antecede sua história, fazem desta cidade um lugar especial para se viver. Aqui, milhares de pessoas têm contribuido com seu crescimento, desenvolvimento e projeção nacional. Somos um dos mais importantes municípios do Brasil, um dos mais dinâmicos e, com certeza, um dos mais desafiadores. Aqui, se projeta o futuro, respeitando as tradições e acreditando na força e constribuição de cada um. Porque aqui, o mais importante é o patrimônio humano, onde se respeita o cidadão e o ser humano é valorizado e estimulado a avançar. Essa é a nossa Arapiraca: uma cidade feita por todos!

Assina: Prefeita: Célia Rocha | Vice-Prefeito: Yale Fernandes

PROGRAMAÇÃO COMPLETA

Site (Prefeitura de Arapiraca/AL): http://arapiraca.al.gov.br/arapiraca90anos/

 
[ Editado por Pedro Jorge / E-mail: pjorge-65@hotmail.com ]
 
Administração (Blog Arapiraca Legal):
Gilvan Juvino da Silva / E-mail: gilvanjuvino@yahoo.com
Pedro Jorge de Melo / E-mail: pjorge-65@hotmail.com
Pesquisa: Blog Arapiraca Legal 
 

Mapa do site


 

 
 
 
 
______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
 
Multimídia:
Mp-3
Rádios
Imagens
YouTube vídeos
 
 
               ARTIGOS
              BIOGRAFIAS
 
 
 
 HISTÓRIA
 
 
 IMAGENS
 
 
 SITES E BLOGS  IMPORTANTES

PERSONALIDADES ARAPIRAQUENSES 1 e 2


PERSONALIDADES ARAPIRAQUENSES 1 e 2

Zezito Guedes

ZEZITO GUEDES

José Gomes Pereira, o popular Zezito Guedes, nasceu em Juru, na Paraíba. Foi professor da antiga FUNESA (atual UNEAL), é protético, escultor e folclorista. É historiador e autor de vários livros, entre eles, o “Arapiraca, Através dos Tempos”. Em 2013, foi aclamado Patrimônio Vivo de Alagoas.

BIOGRAFIA – José Gomes Pereira, Zezito Guedes (Blog Arapiraca Legal): https://arapiracalegal.wordpress.com/artistas-arapiraquenses/zezito-guedes/

Zé do Rojão

ZÉ DO ROJÃO

José Cícero dos Santos é natural ao antigo distrito de Cana Brava – atual Taquarana/AL. Aos oito meses foi trazido pela família para Arapiraca/AL. Além de cantor, compositor, forrozeiro, foi vereador por Coité do Nóia/AL. Foi também um dos primeiros radialistas da cidade e recentemente ganhou uma exposição. Faleceu em 2013.

BIOGRAFIA – José Cícero dos Santos, “Zé do Rojão” (Blog Arapiraca Legal): https://arapiracalegal.wordpress.com/artistas-arapiraquenses/ze-do-rojao/

Paulo Anjo

PAULO ANJO

Nascido em Japaratinga, Paulo Anjo tem veio pra Arapiraca/AL, em 1965, já como soldado. Anos mais tarde se tornou cabo e se aposentou no 3º Batalhão da Polícia Militar como sargento depois de 32 anos servindo com orgulho a cidade que o acolheu.

Senhor Dárcio

“SR. DÁRCIO”

Nascido nos Caititus, Dárcio Lúcio dos Santos foi um dos primeiros a plantar fumo em Arapiraca/AL. Hoje, com 89 anos, ainda trabalha como agricultor plantando o tradicional produto de exportação do município.

“Paulo da Farmácia”

PAULO DA FARMÁCIA

Paulo nasceu em Taquarana/AL e se mudou para Arapiraca/AL, em 1951, onde constituiu família e fez moradia. Há 47 anos abriu a primeira farmácia de Arapiraca, no centro da cidade, e funciona até hoje. Mesmo sem estudos na área de saúde, continua sendo muito procurado para consultas com pacientes.

João Lúcio

JOÃO LÚCIO

João Lúcio da Silva trabalhou muitos anos no cultivo de fumo e numa pequena mercearia. Foi eleito prefeito por duas vezes – em 1956 e em 1966 – e ajudou o irmão, José Lúcio, e o flho, Narciso Lúcio, a se elegerem deputados estaduais. Em 1980, foi eleito suplente na chapa do senador Arnon de Mello e assumiu o mandato após a morte do titular. Morreu em 1985.

BIOGRAFIA – João Lúcio da Silva (Blog Arapiraca Legal): https://arapiracalegal.wordpress.com/2012/10/26/joao-lucio-da-silva/

Esperidião Rodrigues

ESPERIDIÃO RODRIGUES

Natural da Vila de Cacimbinhas, Esperidião Rodrigues da Silva foi levado ainda bebê por seu pai para morar em Arapiraca/AL. Já casado, tornou-se o primeiro comerciante e criou a feira de Arapiraca, a primeira escola e uma sociedade musical. Foi eleito intendente da Vila de Limoeiro de Anadia e em 1924, após anos de luta, consegue a emancipação política da cidade. Foi eleito prefeito duas vezes e morre, aos 85 anos, em 1943.

BIOGRAFIA –  Esperidião Rodrigues (Blog Arapiraca Legal): https://arapiracalegal.wordpress.com/2011/06/19/esperidiao-rodrigues/

Ceci Cunha

“CECI CUNHA”

Josefa Santos, a “Ceci Cunha”, é natural de Feira Grande/AL. Em 1966, passa a morar em Arapiraca/AL, onde estuda no Colégio São Francisco de Assis. Se forma em medicina na Ufal e trabalha na Casa de Saúde Nossa Senhora de Fátima e no Hospital Regional de Arapiraca. É eleita vereadora duas vezes – em 1988 e em 1992 – e deputada federal em 1994. Quatro anos mais tarde é reeleita, mas é assinada em dezembro após ser diplomada.

BIOGRAFIA – Josefa Santos, “Ceci Cunha” (Blog Arapiraca Legal): https://arapiracalegal.wordpress.com/2011/07/31/josefa-santos-cunha/

“Dona Bezinha”

“DONA BEZINHA”

A professora Izabel Torres de Oliveira, a “Dona Bezinha”, nasceu em 1924 no município de Viçosa/AL. Foi professora em Taquarana/AL e chegou à Arapiraca/AL para dirigir a Escola Adriano Jorge. É de sua autoria, a criação da Bandeira, do Brasão do município e da gramática “Flor do Lácio”. Criou também o Colégio Aracanjo Mikael e a Faculdade Cesama. Faleceu em 2004.

BIOGRAFIA –  Izabel Torres e Oliveira,”Dona Bezinha” (Blog Arapiraca Legal): https://arapiracalegal.wordpress.com/artistas-arapiraquenses/izabel-torres-de-oliveira/

“Zé de Sá”

“ZÉ DE SÁ”

José Carmo de Sá, nasceu em São Miguel dos Campos/AL. Sua família fixou residência em Arapiraca/AL, em 1940, onde seu pai, “Zeca Barbeiro”, instalou a primeira barbearia. Surgiu nas comunicações em 1952, na inauguração do “Cine Trianon”. Fez locução para o serviço de alto-falante Tupan, para rádio Difusora, em Maceió, a Rádio Arapiraca, Antena de Publicidade, esta última era clandestina. Em 1976, foi convidado para Rádio Cultura e apresentar o programa “Nos Braços da Saudade”, na rádio Novo Nordeste AM onde está até hoje.

BIOGRAFIA – “Comendador” José Carmo de Sá, “Zé de Sá” (Blog Arapiraca Legal): https://arapiracalegal.wordpress.com/artistas-arapiraquenses/jose-carmo-de-sa/

Noel Rosa

“MESTRE NELSON ROSA”

Nelson Vicente Rosa nasceu em Arapiraca/AL, no ano de 1933. É Mestre de coco-de-roda. Em 2005, recebeu o título de Patrimônio Vivo de Alagoas. Ele também coordena, desde 1990, o grupo das Destaladeiras de Fumo de Arapiraca.

BIOGRAFIA – Nelson Vicente Rosa, “Mestre” Nelson Rosa (Blog Arapiraca Legal): https://arapiracalegal.wordpress.com/artistas-arapiraquenses/nelson-rosa/

Manoel André

MANOEL ANDRÉ

Manoel André Correia dos Santos foi casado com Maria da Silva Valente e morou em Cacimbinhas/AL. Em 1848, ganha um terreno em uma localidade distante e construí uma casa na sombra de uma árvore chamada Arapiraca, nome que deu ao local. Logo depois, seus familiares passam a residir também na região. Após a morte da esposa, construiu a primeira capela da cidade.

Vavá da Buchada”

VAVÁ DA BUCHADA

O senhor Vavá tem 58 anos e há 20 anos faz uma das melhores buchadas de Arapiraca/AL. Seu estabelecimento está localizado no povoado Baixa do Capim, e até hoje atrai várias pessoas de Arapiraca e de todas as regiões do Estado.

Fonte: http://arapiraca.al.gov.br/arapiraca90anos/

[ Editado por Pedro Jorge / E-mail: pjorge-65@hotmail.com ]

______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

PERSONALIDADES ARAPIRAQUENSES – 2

“Paulo do Bar”

BIOGRAFIA – Paulo Lourenço, “Paulo do Bar”(Blog Arapiraca Legal): https://arapiracalegal.wordpress.com/artistas-arapiraquenses/paulo-lourenco-bar-do-paulo/

“Baiana”

 

“Seu Cecílio”

BIOGRAFIA –   , “Seu Cecílio Barbeiro” (Blog Arapiraca Legal): https://arapiracalegal.wordpress.com/artistas-arapiraquenses/cecilio-barbeiro-salao-dos-artistas/

Aline Macêdo (Miss Alagoas/2014)

[ Editado por Pedro Jorge / E-mail: pjorge-65@hotmail.com ]

CIDADE DE MARIA – Craíbas/AL


CIDADE DE MARIA ACOLHE 80 DEPENDENTES QUÍMICOS
Por Givaldo Carimbão

Nos últimos oito anos, já acolhemos mais de mil irmãos vítimas das drogas só na Cidade de Maria. Nos últimos quatro anos, ajudei a cconstruir mais de 30 fazendas em Alagaos. Hoje, são mil dependentes químicos acolhidos nas nossas fazendas.

Vocês não podem imaginar o bem que estou fazendo a milhares de famílias. Desejo continuar realizando esse belíssimo trabalho em pró de nossos irmãos que são vítimas das drogas!
__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

PROJETO ACOLHE ALAGOAS
Por Givaldo Carimbão

É um projeto para acolher pessoas vítimas das drogas. Esta é a minha contribuição para reduzir a violência em Alagoas: Em quatro anos, acolhemos masis de 13 mil pesssoas usuárias de drogas e hoje grande parte está ecuperada e reinserida na sociedade.

Já são mai de 30 instituições, acolhendo e tratando dependentes químicos, criadas com o meu apoio. Pelo Centro de Acolhimento na capital alagoana, já passaram mais de 13 mil pessoas que foram encaminhadas ás comunidades acolhedoras ligadas ao projeto Acolhe Alagoas. São milhares de vidas e famílias que ajudamos a se recuperar, graças a este projeto qu idealizei em Alagoas.

O Centro de Acolhimemto em Delmiro Gouveia/AL facilitou o atendimento das famílias sertanejas, que não precisam mais ir a Maceió/AL para buscar ajuda. E, esse espaço só foi possível graças aparceria com a Igreja daquela cidade.

Anjos da Paz
Mais um projeto criado por mim para acolher dependentes qu[ímicos. para os traficantes, cadeia. E, para as vítimas das drogas acolhemos e recuéramo. Se todos os políticos fizessem um pouco do que faço, o mundo seria outro!

Carros
Carros que eram antes dos traficantes agora ajudam a acolher dependentes. São mais de 50 veículos que eram usados á serviço do tráfico, a polícia apreendeu e eu, como deputado federal, consegui estes carros para acolher dependentes químicos e recuperá-los.

Carimbão: “Compromisso cristão e social”.

[ Fonte: Jornal da campanha de Givaldo Carimbão - 2014 ]

[ Editado por Pedro Jorge / E-mail: pjorge-65@hotmail.com ]

Rodrigo Cunha


Rodrigo Cunha

PERFIL – Rodrigo Cunha

Alagoano de Arapiraca, torcedor do ASA desde sempre. Filho da médica e deputada federal Ceci Cunha e do comerciante Juvenal Cunha (in memorians). Esposo da professora e advogada Lavínia e pai de João Juvenal e Luna Ceci.

Formado em Direito pela UFAL (Universidade Federal de Alagoas), com pós-graduação em Gestão Pública, Gestão empresarial e Direito do Consumidor. Rodrigo assumiu, em 2007, a superintendência do Procon Alagoas.

Em sete anos de atuação, Rodrigo fez do Procon muito mais que um órgão de fiscalização das empresas. Desenvolveu projetos culturais, educacionais e sociais que beneficiam toda a sociedade.

Com competência, seriedade e capacidade de gestão, o Procon Alagoas se tornou referência nacional. Rodrigo foi eleito vice-presidente da Associação Brasileira dos Procons e membro da Comissão Nacional e Proteção ao Consumidor e Acesso à Justiça. Sempre considerou que a informação é a melhor forma de defesa do consumidor, por isso esteve presente na mídia com quadros em programas de televisão e rádio, além de um blog na internet. Tornou-se palestrante nacional e seu trabalho já foi tema de TCC de pós-graduação.

Rodrigo Cunha fez a diferença. Transformou o Procon em um órgão inovador e conquistou o respeito da sociedade alagoana pelo seu trabalho coerente em busca da cidadania e justiça.

[ Fonte: http://rodrigocunha45888.com.br/ ]
__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

POR QUE RODRIGO CUNHA É DIFERENTE?

* BEM PREPARADO – Advogado, Rodrigo Cunha se formou pela UFAL e fez três pós-graduações em Direito do Consumidor, Gestão Pública e Gestão Empresarial;

* COMPETENTE – Em sete anos de atuação, Rodrigo fez do PROCON-AL muito mais que um órgão de fiscalização as empresas. desenvolveu projetos culturais, educacionais e sociais que beneficiam a sociedade. O PROCON-AL se tornou referência nacional;

* DEFENSOR DA CIDADANIA – Rodrigo levou informação para que os alagoanos exigissem seus direitos;

* HISTÓRIA DE VIDA E SUPERAÇÃO – Rodrigo teve seus os pais, Juvenal e Ceci Cunha, assassinados no dia em que Ceci foi diplomada emse segundo mandato como deputada federal. Ele lutou mais de 13 anos por justiça para que os assassinos de seus pais fossem presos.

[ Fonte: Panfleto da campanha de Rodrigo Cunha, 2014 ]
__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Rodrigo Cunha

ENTREVISTA – Revista “Alagoas S.A.” (2014)

RODRIGO CUNHA: UM DEFENSOR DOS DIREITOS DO CIDADÃO

Exemplo de profissional atuante na luta pelos direitos dos cidadãos alagoanos, Rodrigo Cunha, formou-se em Direito pela UFAL (Universidade Federal de Alagoas), em 2005. No ano seguinte, embarcou para Portugal em busca de nova qualificação profissional onde cursou a Pós-Graduação em Gestão Empresarial. Ao retornar para Alagoas, vivenciou a gestão de um negócio próprio no centro de Maceió/AL e, três anos depois, foi convidado a participar da equipe do PROCON-AL, órgão que tem como objetivo principal a defesa do consumidor.

Em janeiro de 2008, Rodrigo Cunha, assumiu a superintendência do PROCON-AL comprometendo-se ainda mais em promover a justiça nas relações de consumo entre clientes e empresas.

Nos sete anos em que ficou á frente o órgão, desenvolveu projetos inovadores voltados para o público mirim, comunidades, idosos e empresários, além de ter idealizado a expansão do PROCON-AL para o interior do estado.

ALAGOAS S.A. – O Sr., depois de ter assumido a superintendência do PROCON-AL, adquiriu ainda mais conhecimento a respeito dos direitos do consumidor. O alagoano tem noção sobre os seus direitos ou os reivindica aleatoriamente?
RODRIGO CUNHA – Acredito que o alagoano está cada dia mais informado sobre os seus direitos. Essa foi uma conquista do trabalho desenvolvido pelos projetos do PROCON-AL, do apoio e cobertura da empresa e, principalmente, da mobilização das pessoas que buscam orientações para agir da maneira correta. os programa que faço nas TVs e nas emissoras de rádio em Maceió e Arapiraca/AL, sempre recebo perguntas coerentes de consumidores atentos ás situações do dia a dia e que não fiam satisfeitos com o comportamento de determinadas empresas. Acho isso muito bom, pois cada vez mais vai possibilitar um mercado saudável para todos.

ALAGOAS S.A. – Quais os casos mais emblemáticos que ainda persistem e atingem o consumidor alagoano?
RC- Infelizmente, aqui ainda temos grandes problemas com o sinal das operadoras de telefonia móvel, o descumprimento do tempo limite de espera na filas as agências bancárias e as mudanças contratuais dos reajustes de planos de saúde. Quando estive á frente do PROCON-AL, propusemos ação conjunta com a OAB/AL e Ministério Público Estadual e conseguimos proibir a operadora TIM de vender novas linhas pré e pós pagas devido aos problemas causados pela deficiência no serviço prestado. Foi uma ação pontual, mas que teve grande apoio da população, pois a insatisfação de todos era grande.

ALAGOAS S.A. – Quais segmentos ou produtos que apresentam alto índice de reclamação e exigem maiores cuidados do consumidor na hora da compra?
RC – Em geral, os consumidores devem ficar muito atentos na hora da compra de qualquer produto. Nas lojas de imóveis e eletrodomésticos, por exemplo, devem estar expostos claramente o valor dos produtos á vista, os juros pagos em cada parcela e o valor final. Vale lembrar que é preciso cautela não só no pagamento, mas esclarecer também as condições e o prazo de entrega dos materiais. E para não ter nenhum tipo de problema o consumidor deve sempre exigir a nota fiscal da compra.

ALAGOAS S.A. – Que orientação daria aos clientes para fazer uma boa compra?
RC – Pesquisar. A informação é a grande aliada dos consumidores na hora da compra. É interessante verificar não só as pesquisas realizadas pelo PROCON-AL em épocas como o Dia das Mães, Namorados e outras datas comemorativas, mas também conversar com amigos, familiares e vizinhos que já tenham co prados produtos similares e possam indicar a melhor empresa para fazer a compra. E também temos os recursos da internet que nos ajudam bastante a investigar as empresas, principalmente, quando a compra é online.

ALAGOAS S.A. – Muitas vezes o cidadão deixa de fazer justa reclamação pela demora na resolução da pendência. Qual é o prazo que se gasta para chegar ao consenso entre fornecedor e cliente?
RC – É fundamental que o consumidor registre sua ocorrência ou reclamação na loja onde o produto ou serviço foi adquirido e os fornecedores têm que indicar qual a solução para o problema do cliente. No caso dos produtos não duráveis, como alimentos, flores, roupas, calçados, o prazo é de 30 dias; já no caso de produtos duráveis, como eletrodomésticos, veículos e máquinas, o prazo é de 90 dias a contar da data de recebimento da mercadoria.

ALAGOAS S.A. – O Sr. poderia citar quais as principais conquistas do alagoano em se tratando do direito do consumidor?
RC – O programa da Nota Fiscal Alagoana é um exemplo relevante da nova postura no mercado. É grande a adesão de estabelecimentos no sistema, mas o papel principal é do consumidor que deve exigir a nota sempre que adquirir um produto ou serviço. Além de promover a cidadania ao ajudar na redução da sonegação fiscal no estado, o consumidor recebe crédito de 30% do valor recolhido pelo estabelecimento, proporcional a nota fiscal emitida. Esses créditos podem ser reduzidos do IPVA ou até mesmo serem transferidos para as contas corrente ou poupança do consumidor. Outra conquista importante é a ampliação do acesso ás unidades do PROCON na capital e também no interior do estado, facilitando a vida de todos os consumidores.

ALAGOAS S.A. – Por que as empresas e os bancos sobremaneira teimam em desrespeitar o cliente? As agências bancárias raramente seguem o determinado em lei de o cliente passar no máximo passar 30 minutos na fila á espera do atendimento no caixa. A culpa é do banco ou do cliente que se acomoda e não exige valer os seus direitos?
RC – De fato, essa é uma reclamação recorrente pelos consumidores alagoanos. Acredito que a plena aplicação da lei só será cumprida com a ação conjunta dos setores da sociedade, ou seja, pelos clientes registrando as ocorrências e também pelo PROCON atuando para inibir essa prática abusiva sobre o consumidor até que os bancos passem a cumprir a lei. No início do ano, conseguimos uma intervenção de 24h em duas agências bancárias, pois o número de inflações estava bastante elevadas.

ALAGOAS S.A. – Falta alguma legislação ou normativa no país que dê maior segurança e rapidez ao processo? O que ainda se faz necessário para que se atenue os conflitos fornecedor x cliente?
RC – Sim, falta uma legislação que permita uma maior celeridade aos processos em todas as esferas. Para que esses conflitos sejam atenuados, é preciso que ocorra uma negociação clara, límpida e saudável entre as partes para que assim haja o equilíbrio das relações de consumo. Diálogo e informação deve caminhar juntos para minimizar as divergências entre fornecedores e clientes.

ALAGOAS S.A. – Qual a sua avaliação sobre a aquisição de produtos no exterior? Há garantias que respaldem o consumidor?
RC – É muito comum a aquisição de produtos, principalmente eletrônicos pelas pessoas que viajam pelo exterior. Essas compras devem ser bem observadas, pois caso haja algum defeito no produto é possível responsabilizar o comerciante ou fabricante estrangeiro sob a legislação do país em que a compra foi realizada. Caso o consumidor opte pelo comércio online, na situação de compra direto do fornecedor estabelecido fora do país, a exportadora não tem a obrigação, exceto quando contratualmente essa categoria seja oferecida.

ALAGOAS S.A. – Falando um pouco sobre a economia, o estímulo ao crédito impulsionou o brasileiro ir ás compras. Essa realidade do dinheiro disponível para aquisição de bens está levando muitas pessoas a ter dificuldade de honrar as parcelas e está empurrando-os para o SPC (Serviço de proteção ao consumidor) e a SERASA. Como o alagoano pode fugir desse problema financeiro?
RC – Para evitar constrangimentos e dificuldades financeiras, é aconselhável que as pessoas tenham um orçamento anotado com as despesas pessoais e domésticas. Uma boa opção é ter uma planilha com todos os gastos para que sejam visualizadas a renda e os custos mensais para que assim o consumidor possa avaliar a possibilidade ou não, de aquisição de novos produtos e serviços sem comprometer a qualidade de vida da família.

ALAGOAS S.A. – Como o estado poderia contribuir para o consumidor de hoje e, sobretudo, o de amanhã não venha a cometer os mesmos equívocos do presente e adquira conhecimento sobre disciplina financeira e saiba administrar seu orçamento?
RC – A melhor forma é através de projetos e iniciativas de educação financeira direcionados para todas as faixas etárias. Para isso, é preciso mobilizar o público infantil a consumir de maneira consciente como por exemplo, no PROCON Mirim, pois esses tornam-se agentes multiplicadores com familiares e amigos. Devemos pensar também em projetos para o público idoso, estimulando os mesmos a serem fiscais da cidadania e assim colocando em prática toda a experiência de vida.

[ Fonte: Revista "Alagoas S.A.", Maceió/2014 ]

[ Editado por Pedro Jorge / E-mail: pjorge-65@hotmail.com ]

Fã Clube Raul Seixas – GARRAL (Griff Acervo Raul Ritmos Alagoas)


 

________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Fa Clube Raul Seixas – GARRAL (Griff Acervo Raul Ritmos Alagoas)

PROJETO MOSCA NA SOPA (Tributo a Raul Seixas)*
Por Pedro Jorge*

Para marcar os 25 anos sem Raul Seixas, o presidente do fã clube GARRAL, Eunildo Barbosa, estará realizando o “Projeto Mosca na Sopa – 24° Tributo a Raul Seixas” em duas emissoras de rádios comunitárias de Arapiraca/AL: “Cidade” (91,9 FM) e “A Voz do Povo, A Deus” (105,9 FM). De 1990 a 1996, este projeto foi apresentado na “FM Arapiraca” (96,9 FM); idealizado por Eunildo e contando com a parceria de diversos radialistas: Robson Silva, Carlos Wanderley, Luciana Flávia, Paulo Marcelo e Paulo Bala. Depois na “Cultura AM” com Benjamim Bertoline e na “Tropical FM” com Liênio Potiguar. Em 2006 e 2007 foi realizado dois especiais na “Educativa FM” (Maceió/AL), com a seleção musical elaborada por Eunildo Barbosa.

Neste ano o projeto-tributo “Mosca na Sopa” será transmitido em duas etapas: a primeira será na rádio “Cidade FM” – com a parceria de Liênio Potiguar, no dia 17 de agosto de 2014, e a segunda na emissora “A Voz do Povo, a Voz de Deus” – com Marcos Góes. Nestes dois especiais dedicados ao eterno “Maluco Beleza”, os ouvintes terão a oportunidade de curtirem as canções que marcaram a carreira artística de Raul Seixas, escutarem comentários sobre fatos que marcaram sua vida e obra, solicitarem músicas e concorrerem a diversos brindes.

Raul Seixas faleceu no dia 21 de agosto de 1989, aos 44 anos de idade, de pancreatite aguda. Ele teve uma carreira de grande sucesso e também passou por um período de ostracismo – se despedindo em um desses momentos de recomeço e esperança após alguns anos complicados. Sua obra, no entanto, não foi sepultada junto com ele, pois continua viva, atual, marcante e nunca deixou de tocar e inspirar. Suas canções continuam sendo cantadas em todos os cantos. Mais que música, sua filosofia, suas ideologias – muitas revolucionárias para a sua época, permanecem vivas até os dias atuais. “Raulzito” tem centenas de fã clubes por todo este Brasil e sua memória está cada vez mais viva do que nunca. Em outubro de 2008, 19 anos após a sua morte, a conceituada revista Rolling Stone publicou a “Lista dos 100 Maiores Artistas da Música Brasileira”, colocando Raul Seixas na 19ª posição. No ano anterior, a mesma revista no especial “Lista dos 100 Maiores Álbuns da Música Brasileira”, incluiu o seu disco “Krig-ha, Bandolo!” (1973), na 12ª colocação.

Raul Santos Seixas (* Salvador/BA, 28/06/1945 + São Paulo/SP, 21/08/1989), além de cantor e compositor brasileiro foi, também, produtor musical da CBS. Sua obra musical é composta por 17 discos. Seu álbum de estreia foi “Raulzito e os Panteras” (1968), mas ele só ganhou notoriedade de crítica e de público com as músicas do disco “Krig-ha, Bandolo!” (1973): “Ouro de Tolo”, “Mosca na Sopa” e “Metamorfose Ambulante”. Raul Seixas adquiriu um estilo musical que o creditou de “contestador e místico”, e isso se deve a ideais que teve como a Sociedade Alternativa apresentada em Gita (1974), influenciado por figuras como o ocultista britânico Aleister Crowley.

A parceria musical de Raul Seixas com, o agora internacionalmente famoso escritor, Paulo Coelho se iniciou no início dos anos 1970. Na época os dois eram os melhores exemplos produzidos pelo movimento hippie tupiniquim. A parceria teve seu auge com os discos “Krig-ha Bandolo!” (1973), “Gita” (1974), “Novo Aeon” (1975), “Há Dez Mil Anos Atrás” (1976) e “O Dia em Que a Terra Parou” (1977).

Toca Raul! São raras as rodas de violão e os shows de rock que não se ouvem essa frase. Raul Seixas gravou seu repertório de canções contestadoras no imaginário brasileiro como poucos ídolos da música. Fortemente influenciado por Elvis Presley e Luiz Gonzaga, Raul foi um dos pilares do nascimento do rock no Brasil e até hoje tem legiões de fãs em todas as gerações. Depois de muitas trocas de gravadoras, entremeadas por problemas de saúde devido ao uso excessivo de álcool e drogas, ele emplacou um novo hit na década de 1980: “Carimbador Maluco”, incluída no especial infantil “Plunc-Plact-Zum” (TV Globo). Em 1989, já bastante debilitado, grava o seu último disco “Panela do Diabo”, em parceria com Marcelo Nova.

Sobre o fã clube GARRAL (Griff Acervo Raul Ritmos Alagoas) – É uma entidade cultural sem fins lucrativos destinada a pesquisar, estudar, preservar e dar continuidade aos trabalhos e estudos iniciados por Raul Seixas. Este fã clube foi criado por fãs (Eunildo Barbosa, Luciano Freitas e Walter Ataídes) para fãs. Seja sócio do fã clube de Raul Seixas entrando em contato com o vendedor autônomo e presidente do GARRAL, Eunildo Barbosa, pelos seguintes telefones: (82) 9636.6531 (Tim) / 8158.8156 (Vivo).

Frases:
“O que faço em minhas letras é uma transfiguração, uma transmutação da linguagem livresca para a popular. Eu tenho muita facilidade para fazer isso. O homem nasceu para o amor e para a liberdade. E, eu estou dando a minha contribuição… Este grande jardim de paz e fraternidade virá, com toda a certeza”. – Raul Seixas

“A música ‘Meu Amigo Pedro’, fala de certas posições radicais que as pessoas tomam no seu relacionamento com os semelhantes. ‘Eu Também Vou Reclamar’, dá uma visão da chatice insuportável da MPB, com todo mundo dizendo que é pra parar o mundo que eu quero descer, que é um pobre rapaz latino-americano, que é nuvem passageira e outras coisas mais…” – Paulo Coelho

“O Eduardo Dusek me chamou de ‘Aracy de Almeida do Rock’ e eu não sabia se era elogio ou xingamento. Parecido comigo, acho que só o Sílvio Brito. Esse tinha umas coisas na minha linha”. – Raul Seixas

“O ‘Maluco Beleza’ se foi, pegou seu ‘disco-voador’ e voou para outra dimensão, onde todos os ‘malucos-belezas’ se encontram após deixarem sua impressão digital no mundo”. – André Mauro

CONTATOS – GARRAL (Griff Acervo Raul Ritmos Alagoas)
Celulares: (82) 9636.6531 (Tim) / 8158.8156 (Vivo).

* Fontes Pesquisadas: Fã Clube – GARRAL / Blog – Arapiraca Legal / Site – Wikipédia, a enciclopédia livre / Catálogo – Musiclub / Revistas – Bizz, Caras, Manchete, Rolling Stone e Veja / Livro – Raul Seixas Por Ele Mesmo.

* Pedro Jorge de Melo (E-mail: pjorge-65@hotmail.com) é funcionário público municipal de Arapiraca/AL, e um dos administradores do blog Arapiraca Legal.

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

BOX – 25 Anos Sem o “Maluco Beleza”

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Fã Clube Raul Seixas – GARRAL (Griff Acervo Raul Ritmos Alagoas)*

garral carteira socio 1

* Seja sócio do fã clube de Raul Seixas em Arapiraca/AL
Contatos: (82) 9636.6531 (Tim) / 8158.8156 (Vivo).

“Sonho que se sonha só, é um sonho só. Sonho que se sonha junto é realidade”. – Raul Seixas

VAMOS SONHAR JUNTOS E TORNAR ESTE SONHO REALIDADE!

[ Editado por Pedro Jorge / E-mail: pjorge-65@hotmail.com ]

Maurício Machado


JOVEM EMPREENDEDOR PROMOVE REFLORESTAMENTO EM TRAIPU – MAURÍCIO MACHADO MOSTRA COMO CUIDA DA NATUREZA

Com o apoio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Traipu/AL, o jovem empreendedor Maurício Machado, 17 anos, iniciou nesta segunda-feira, 15 de agosto de 2013, um reflorestamento em pequena escala no Vale das Pedras – localizado na Fazenda Bela Vista -, propriedade onde reside o garoto, que tem o costume exemplar de realizar plantios na região.

A recuperação da mata contou com a participação de alunos da Escola Estadual Moreno Brandão e do Grupo Projovem Adolescente, além de técnicos da Vigilância Sanitária/Ambiental do município. Na ocasião, Maurício apresentou á área e ensinou todos a fazer um reflorestamento correto.

Segundo Maurício, o replante foi feito com mudas de árvores de várias espécies, principalmente nativas da caatinga, que ele mantém no pátio da fazenda do pai, em um viveiro que comporta mais de duas mil espécies de Mata Atlântida, como ipês, cedros, craibeiras. paineiras, angico, aroeiras etc. “Quero ver cada um que plantou a árvore visitar o vale das pedras futuramente, para chegar e dizer: ‘Essa árvore é minha! Fui eu quem a plantou no dia 15 de julho de 2013′”, contou o jovem, que tomou gosto cedo pela preservação ao meio ambiente.

Maurício já participou de diversas ações de arborização para tornar a cidade do Agreste alagoano mais verde.

[ Fonte: Revista "Xereta", outubro de 2013 ]

[ Editado por Pedro Jorge / E-mail: pjorge-65@hotmail.com ]

Eliene Melo (BLOG VEM – VIVER ESCLEROSE MÚLTIPLA)


Eliene Melo

MINHA HISTÓRIA – Eliene Melo

Meu nome é Eliene Melo. Tenho 42 anos de idade. Sou casada, mãe, filha, irmã e amiga. Nasci em uma família pobre de seis irmãos e morávamos no interior de Alagoas. Aos sete anos de idade, meus pais vieram residir em Arapiraca/AL, onde moro até hoje.

Iniciei a minha vida profissional trabalhando na feira livre com minha mãe, vendendo amoço e café aos feirantes. Quando tina 11 anos, fui chamada para fazer um teste em uma das lojas do comércio, onde conquistei parte de tudo que tenho. Foi uma oportunidade que agarrei com as duas mãos e que durou 22 anos de trabalho e convivência.

Fiz uma verdadeira família, tive uma vida normal, trabalhei e estudei. Casei aos 26 anos, tive quatro filhos que representam a maior parte de minha vida. Aos 38 anos de idade, no dia 28 de julho de 2008, fui surpreendida por algo que nunca esperei, foi quando tive o primeiro surto de esclerose múltipla: perdi os movimentos dos membros superiores e inferiores com perda parcial de visão e da fala. Passei 11 dias numa UTI, voltei para casa e deu-se o início a uma batalha em minha vida e de toda a minha família, ficando oito meses, aproxidamente, sem saber ao certo o diagnóstico.

Cada médico tinha uma opinião diferente, até o dia em que fui indicada a um neurologista – o qual depois de um exame de ressonância, junto a minha clínica chegou a conclusão do diagnóstico de esclerose múltipla. A partir deste momento tudo começou a mudar na história de minha vida e de todos a minha volta. Foi quando comecei a usar avonex (remédio para controle da EM – Esclerose Múltipla). Com a ajuda de Deus, de minha família e de meus amigos, irmãos, médicos e os demais profissionais de Centro de Reabilitação, consegui chegar até aqui. Estou em cadeira de rodas, em meio a tantas dificuldades – essa foi o pior momento para os meus filhos, que ainda são pequenos. Sofremos muito, pois a fase de aceitação é, sem dúvida, a mais difícil. Só que, ao olharmos para a frente podemos ver o horizonte sem fim e entendemos que viver é aceitar tudo que Deus nos proporciona nesta vida.

Apesar de tudo vale a pena viver. Hoje, vivo essa nova fase de minha vida com muita fé em Deus e acreditando que sou capaz. Pois Deus nunca irá nos levar aonde sua Graça não possa nos alcançar. Foi pela Graça Divina que pude chegar hoje aqui. Adotei um novo lema, que costumo dizer sempre: “Esclerose não é o fim, e sim o início de uma nova vida”. Tenho procurado passar aos novos portadores que conheço o máximo que aprendi e toda a experiência vivida. Estou sempre pesquisando e buscando informações sobre a esclerose, na esperança de poder ajudar aos novos pacientes a vencerem essa doença e não sermos jamais vencidos!

Fonte: Blog Vem – Viver Esclerose Múltipla.
________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

BLOG VEM – VIVER ESCLEROSE MÚLTIPLA

O Blog Vem – Viver Esclerose Múltipla, convida os amigos para contarem suas histórias e experiências, curiosidades e dicas. Lembrando, maior que qualquer deficiência é todo tipo de preconceito e a falta de aceitação do próprio portador.

Sofrer, porque… Se somos normais, capazes de enfrentarmos qualquer obstáculo. descobrir que tem esclerose múltipla, não será o fim e sim o início de uma nova vida.

Visite o Blog Vem – Viver Esclerose Múltipla.

[ Fonte (link): http://blogvem-viveresclerosemultipla.blogspot.com.br/p/esclerose-multipla-esclerose-multipla-e.html ]

[ Editado por Pedro Jorge / E-mail: pjorge-65@hotmail.com ]